Protecionismo continua com aumento do desemprego, diz OMC

SÃO PAULO, 18 de janeiro de 2010 - A tentação protecionista que acompanhou a crise continuará porque está vinculada à deterioração do mercado trabalhista, declarou o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy.

Para contra-atacar esta tendência, Lamy pediu uma vez mais a conclusão este ano da Rodada de Doha de liberalização do comércio mundial, lançada em 2001 e paralisada por diferenças entre as potências industriais e os países em desenvolvimento e emergentes.

"Até agora, de forma global, o sistema tem resistido", afirmou Lamy durante um encontro organizado em Paris sobre os "Riscos País" em 2010.

"A tendência protecionista, a demanda protecionista, estão evidentemente relacionadas com a situação do mercado do emprego e sabemos que nos próximos meses e, inclusive, no próximo ano ou próximos dois anos, a situação do mercado trabalhista vai continuar se degradando. É preciso permanecer extremadamente vigilante. Devemos continuar resistindo a esta tendência protecionista", enfatizou, insistindo também que a solução mais concreta e imediata seria concluir a negociação sobre Doha.

Os principais atores da OMC se comprometeram em concluir a rodada em 2010, que deveria ter sido acertada em 2005.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)