Australiana Fortescue quer misturar seu minério com o da Vale

REUTERS

PORT HEDLAND, AUSTRÁLIA - A mineradora australiana Fortescue Metals Group gostaria de misturar seu minério granulado com os minérios finos produzidos por mineradoras brasileiras como a Vale, para conseguir uma mistura mais comercial, disse a empresa nesta segunda-feira.

- Pode haver algumas opções em relação a misturar nosso minério com o deles - disse à Reuters o diretor-executivo, Graeme Rowley.

A empresa também está em negociações sobre se manterá seu preço com desconto para siderúrgicas chinesas no quarto trimestre de 2009, disse a empresa na segunda-feira.

A Fortescue concordou em agosto em vender seu minério para a China com um desconto de 3 por cento em relação ao preço referencial japonês, em troca de um financiamento chinês de até 6 bilhões de dólares. Mas essa parte do acordo não deu certo, deixando o desconto em dúvida.

- Ainda estamos em dicussão sobre como precificar o resto no último trimestre - disse Rowley.

Ele disse que a Fortescue vendeu 10 milhões de toneladas de minério com o desconto no trimestre de setembro, mas que não tem mais obrigação de continuar com esse arranjo de preços.

A Fortescue vende todo o seu minério na China, mas quer ampliar as vendas para o Japão e a Coréia do Sul já que busca uma expansão a longo prazo que vai quase triplicar sua produção anual para 92 milhões de toneladas, ante 38 milhões atualmente.