Itaipu binacional: Brasil vai arcar com despesas

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O governo brasileiro vai arcar com as eventuais despesas resultantes do acordo com o governo paraguaio sobre a hidrelétrica Itaipu Binacional. Ficou acertado que não haverá prejuízo para o consumidor brasileiro nem para a Eletrobrás. O assessor da presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia afirmou que acordo foi importante por estabilizar a situação política no país vizinho.

Acreditamos que esse acordo vai beneficiar o Paraguai e não vai criar nenhum ônus para o consumidor brasileiro, uma vez que vai ser assumido em parte pelo Tesouro e em parte por uma série de resoluções técnicas disse Garcia nesta segunda-feira a jornalistas, sem dar detalhes da operação assinada no final de semana, em Assunção, pelos presidentes dos dois países.

Pelo o que tem ocorrido no Paraguai, o acordo estabiliza a situação política do país e isso é muito bom para a América Latina acrescentou Garcia.

A estruturação da operação, que ainda não foi detalhada por nenhuma autoridade brasileira, só deve ficar pronta em 60 dias, lembrou Garcia.

Não vai ter aumento de preço de tarifa. A determinação é que isso não vai ter impacto para o consumidor garantiu o ministro Paulo Bernardo nesta segunda-feira em Brasília.

Questionado então se o governo vai pagar a conta do acordo com o Paraguai, Bernardo foi positivo.

Eu concluo que a resposta é afirmativa afirmou, sem fornecer mais detalhes.

Uma fonte da Eletrobrás disse que a empresa não perderá receita por não ser mais responsável pela intermediação de boa parte da energia de Itaipu para as distribuidoras.

Segundo relato de Paulo Bernardo, Lula afirmou no encontro que houve avanço no relacionamento com o Paraguai.

Além de prometer quase triplicar o valor anual da cessão da energia hoje em torno dos US$ 120 milhões , o Brasil disse que permitirá a venda gradativa da energia de Itaipu diretamente no mercado livre de energia do Brasil pelo Paraguai. Atualmente, a energia é vendida pela Eletrobrás.

Promessa de campanha

A reavaliação do contrato de energia da usina binacional de Itaipu era uma promessa de campanha do presidente Fernando Lugo.

Não podemos ser uma ilha de prosperidade cercada por um oceano de desigualdade social frisou o assessor da presidência da República.

Garcia participou nesta segunda-feira de um seminário internacional sobre o processo de paz na região do Oriente Médio.

O Brasil pode ter um papel importante, uma vez que temos colônias aqui no país finalizou.

O Paraguai consome somente 5% da produção da hidrelétrica, uma das mais potentes do mundo, com capacidade para 14 mil megawatts, e vende o restante ao Brasil.

O aumento firmado no sábado ainda deve ser aprovado pelos Congressos dos dois países.