Secretário não segura arrecadação, diz coordenador da Receita

Agência Brasil

BRASÍLIA - O coordenador-geral de Estudos, Previsão e Análise da Receita Federal, Marcelo Lettieri, considera "um mito" as versões divulgadas de que a demissão da secretária da Receita Federal, Lina Vieira, tenha sido motivada pela queda na arrecadação. Lettieri deu sua primeira entrevista um dia após o anúncio oficial da queda da secretária, para anunciar o resultado da arrecadação de impostos e contribuições federais no mês de junho.

- Foge da minha alçada comentar os motivos e as razões da saída da secretária. O que a gente quer afastar é que secretário de Receita segura arrecadação. Isso é um mito. Nenhum segura. Isso eu posso afirmar - apontou o coordenador.

Lettieri disse que a Receita Federal não se manifesta sobre irregularidades de empresas. Ele informou que a secretária, cuja demissão ainda não foi publicada no Diário Oficial da União, pediu serenidade à equipe e pediu que aprofunde cada vez mais a transparência dos dados.

Segundo ele, se há queda da atividade econômica, a arrecadação só se sustentaria com o aumento de alíquotas de impostos. Ele voltou a afirmar que em crises passadas houve essa prática na tentativa de manter o superávit primário.

- Todo mundo sabe que havia uma política de governo, que tinha que sustentar a arrecadação a todo custo para sustentar uma política fiscal. Hoje, a política de governo é outra - explicou. Ele admitiu porém que a arrecadação "vai pagar a conta" pela queda da atividade econômica.

Segundo analisou, o governo precisa manter um superávit primário e está olhando o lado dos gastos, além de observar a linha de sustentação da arrecadação.O governo quer observar se há compatibilidade entre o comportamento de arrecadação e o nível de atividade econômica de alguns deste setores beneficiados com compensações tributárias.

- A gente está monitorando as futuras compensações e onde existem possíveis vazamentos de arrecadação. Existem fontes onde a arrecadação pode vazar mais do que a atividade econômica? Isso a gente precisa saber - disse.

A arrecadação de impostos e contribuições federais ficou acima de R$ 54 bilhões em junho, segundo números divulgados pela Receita Federal. É a oitava queda consecutiva na arrecadação em comparação ao mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, a arrecadação totalizou R$ 321,375 bilhões, com queda 7,02% em relação ao primeiro semestre de 2008.