Petroplastic lamenta incorporação da Triunfo

SÃO PAULO, 5 de maio de 2009 - O empresário Boris Gorentzvaig, controlador da Petroplastic Ltda., lamentou o desfecho da Assembleia de Acionistas da Petroquímica Triunfo que aprovou hoje incorporação da empresa pela Braskem, do grupo baiano Odebrecht. A Justiça gaúcha havia decidido pela suspensão da Assembleia, já que há uma disputa societária pelo controle da Triunfo que ainda aguarda julgamento no Supremo Tribunal Federal. Contudo, uma liminar garantiu a realização da assembleia.

'A incorporação da Petroquímica Triunfo pela Braskem significa a incorporação do 3º Polo Petroquímico, estabelecido no Rio Grande do Sul, pelo 2º Polo Petroquímico, situado na Bahia. Com isso, as decisões sobre como conquistar o mercado passam para a Bahia e o valoroso povo gaúcho perde a soberania do seu setor petroquímico. Se, amanhã, a Braskem decidir que a produção do Polo Petroquímico de Triunfo deve ser toda exportada, o Rio Grande do Sul não receberá nada de imposto', destacou Gorentzvaig.

O empresário ressaltou ainda que, embora tenha oferecido R$ 350 milhões pelas ações da Triunfo em poder da Petroquisa (subsidiária integral da Petrobras), com a incorporação aprovada hoje, a Triunfo foi entregue à Braskem por apenas R$ 117 milhões.

'Diante dessa absurda desvalorização da Triunfo, que era uma empresa estatal admitindo-se que 85% das ações pertenciam à Petroquisa, só cabe, agora, ao Ministério Público Federal se pronunciar sobre essa operação', concluiu.

(Redação - InvestNews)