AIG solicita aos executivos devolução de bônus

Jornal do Brasil

NOVA YORK - O presidente da seguradora americana AIG, Edward Liddy, anunciou nesta quarta-feira, em depoimento no Congresso americano, que recomendou aos executivos da empresa que receberam bônus que façam o que é correto e devolvam a metade do dinheiro recebido. Apesar de ser socorrida da falência pelo governo dos EUA com empréstimo bilionário, a AIG pagou bônus de R$ 165 milhões aos executivos.

Esta manhã pedi aos funcionários da AIG Financial Products que façam o correto disse, exortando os executivos que cobraram prêmios de mais de US$ 100 mil a que devolvam pelo menos a metade desse dinheiro . Alguns deles já tomaram uma posição e se ofereceram para devolver tudo.

Na terça-feira, o procurador-geral do estado de Nova York, Andrew Cuomo, revelou que a AIG já pagou bônus de US$ 1 milhão ou mais a 73 executivos da subsidiária AIG Financial Products incluindo 11 pessoas que já não trabalham mais na companhia. Entre as 11 pessoas que receberam bônus da AIG e que já não estão mais na empresa, o valor mais alto passou de US$ 4,6 milhões. Outras 22 pessoas receberam bônus de mais de US$ 2 milhões.

Erros foram cometidos

Liddy também disse que, devido a certas obrigações legais , a empresa fez pagamentos de compensações que considerou desagradáveis.

Erros foram cometidos na AIG em uma escala que poucos poderiam ter imaginado ser possível , diz Liddy no texto apresentado no Congresso. O mais crítico desses erros foi que a empresa se desviou de suas competências centrais no negócio de seguros. Isso foi visto na criação do que veio a se tornar um fundo de hedge (categoria de investimentos mais arriscados) interno, que então se tornou substancialmente exposto aos riscos de mercado.

Liddy destaca no testemunho o que classificou de ponto alto da raiva do povo americano, que quer saber como o país entrou na atual crise, como vai sair dela e quando vai voltar ao ritmo anterior de crescimento.

Eu partilho dessa raiva. Como homem de negócios, eu vi o lado bom do capitalismo. Nos últimos meses, ao ver como a AIG foi mal conduzida nos anos anteriores, também vi provas do lado mau afirmou.

Déficit em menor nível

O déficit em conta corrente dos EUA caiu no quarto trimestre de 2008 para US$ 132,8 bilhões, o mais baixo desde o mesmo período de 2003, de acordo com dados divulgados nesta quarta pelo Departamento do Comércio. O déficit no trimestre passado representou 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) americano, o menor desde o quarto trimestre de 2001, quando o déficit ficou em 3,4%.

Hipotecas em alta

Outro dado divulgado nesta quarta-feira demonstra que as solicitações de contratos de hipoteca nos EUA tiveram, na semana encerrada no dia 13, aumento de 21,2% na comparação com o período anterior. O resultado, de acordo com a Associação de Bancos de Hipoteca (MBA, na sigla em inglês), ocorreu por causa do aumento nos pedidos de refinanciamento.