Vale devolve ganhos e puxa para baixo Ibovespa

SÃO PAULO, 9 de fevereiro de 2009 - A forte valorização registrada na semana passada pelas ações do setor de mineração e siderurgia apresentou movimento inverso nesta segunda-feira com a realização de lucros. A tendência acabou refletindo no Ibovespa, que encerrou o dia em queda de 1,53%, aos 42.100 pontos. O giro financeiro somou R$ 4,25 bilhões.

As ações preferenciais série A da mineradora brasileira recuaram mais de 2,96%. "Não foram só as ações da Vale, mas sim de todas as siderúrgicas que caíram nesta segunda-feira", afirma o gerente de operações da Um Investimentos, Rodrigo Cunha da Silveira. Na semana passada o setor reagiu a rumores de que os estoques de minério de ferro na China estariam caindo. Além disso, analistas também falavam em redução nos preços dos fretes.

No sentido oposto, as ações ordinárias da Cosan figuraram entre as maiores altas do Ibovespa pelo segundo dia consecutivo - alta de 4,09% -, com rumores de que a companhia estaria próxima de adquirir a NovAmérica Agroenergia, braço sucroalcooleiro do grupo NovAmérica. Na última sexta-feira, as ações da companhia já haviam subido forte: 8,1%.

Mas não foram só estas notícias que repercutiram na movimentação dos índices acionários. O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou hoje, por meio de seu porta-voz Isaac Baker, que está empenhado no trabalho com o Congresso para a aprovação do pacote de estímulo à economia dos Estados Unidos. De acordo com ele, o Senado vota a aprovação do plano hoje. Como conseqüência, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner irá adiar a divulgação do plano de estabilidade e recuperação econômica para amanhã.

"O plano de recuperação econômica é crucial para impulsionar a saída do país desse cenário. Porém, sozinho, não será suficiente para solucionar os problemas que nos trouxeram até aqui. Precisamos estabilizar e reparar nosso sistema financeiro para a manutenção do fluxo de crédito de que as famílias e empresários necessitam para manter nossa economia forte", disse Baker.

Ainda por lá, depois de operarem boa parte do dia sem rumo definido, à espera da aprovação do pacote, os índices passaram a cair com rumores envolvendo o setor automotivo. "O mercado está comentando que a GM e a Chrysler entrariam com um pedido de concordata para ter acesso a uma linha de crédito disponível apenas para empresas nesta situação", ressalta o gerente de operações da Um Investimentos.

(Vanessa Correia - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais