Supermercado Zona Sul é o primeiro do Brasil com permissão de fabricar produtos alimentícios

Com o Registro SIM, redes podem se tornar pequenas indústrias com a produção de carne moída, hambúrguer, linguiça, entre outros

O Supermercado Zona Sul, do Recreio dos Bandeirantes, que integra a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), é o primeiro supermercado do Brasil a implementar o Registro SIM-Rio - Serviço de Inspeção Municipal do Rio de Janeiro. A conquista permite ao supermercado produzir produtos alimentícios e distribuí-los ao longo do município.

Com o registro do SIM, os supermercadistas poderão manipular e comercializar artigos de fabricação própria (como carne moída, hambúrguer, linguiças, entre outros) em um ambiente controlado e adequado às normas sanitárias. Ou seja, o certificado permite o descongelamento técnico e a venda de carne moída em bandejas, espetinhos e bifes à rolê e à milanesa, entre outros produtos, por exemplo.

De acordo com o presidente da Asserj, Fábio Queiróz, todos ganham com a adesão do selo, principalmente o cliente, que terá mais opções de compra. "Essa conquista permite a liberdade de criação de novos produtos industrializados produzidos pela própria loja. Uma parte do estabelecimento se torna uma indústria, legalizada e fiscalizada, de maneira que o alimento chegue com muita segurança ao consumidor".

Ele explica como o decreto muda a operação dos supermercados. "Agora é possível ter centrais de distribuição, onde podem ser feitos fatiamentos e descongelamento técnico de produtos para fracionamento. Mas o grande ganho para o setor é a comercialização da carne pré-moída para quem tem o Sim. Isso traz praticidade para o consumidor que terá, à disposição, vários cortes de carnes com certificação e total segurança dos alimentos", afirma.

Outra vantagem é a fomentação da economia local. A maioria das grandes redes de supermercados do Rio já deu entrada no pedido.

A nutricionista da Associação de supermercados do Rio, Bianca Costa, explica que o Serviço de Inspeção Municipal vem garantir a qualidade do produto de origem animal. "Todo produto para ser manipulado precisa seguir determinadas normas, e com o registro Sim o cliente tem a certeza de que a Vigilância foi ao estabelecimento, e poderá levar um alimento seguro para ele e sua família".

O mercado que não tiver o registro continuará comercializando os produtos de origem animal na forma de autosserviço, ou seja, como é feito atualmente.

Sobre a Asserj

Criada em 1969, a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro tem como objetivo unir, servir e representar o segmento supermercadista nos cenários político, econômico e social, promovendo a interação entre os players e o desenvolvimento da qualidade da gestão. Representa os interesses de 300 grupos e oferece a seus associados diversos benefícios, como cursos de aperfeiçoamento, palestras, consultoria e assessoria na área jurídica.

http://asserj.com.br/

A cerimônia de certificação ocorreu na tarde de sexta (300, com a presença de representantes da ASSERJ, como o presidente Fábio Queiróz, a superintendente Keila Prates e a nutricionista Bianca Costa, além dos gestores do Zona Sul, como a Marisa Leta, diretora de RH e Operações e a médica veterinária da rede, Christina Fagundes. Estiveram presentes também a equipe da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses do Município do Rio, entre eles a Secretária Municipal de Saúde, Dra. Beatriz Busch, o Flavio Graça, Superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação e a a subsecretária de Vigilância Sanitária, Márcia Rolim.