Reforma administrativa é mais prioritária agora do que tributária, diz Mansueto

A reforma administrativa é mais prioritária neste momento do que a tributária, uma vez que é mais consensual, afirmou nesta quinta-feira o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, para quem o cenário para as contas do país está melhorando e, por isso, não exclui possibilidade de novo desbloqueio do Orçamento.

Segundo Mansueto, a ideia do governo é enviar ao Congresso a proposta de reforma ainda neste mês. Mas ele ponderou que ainda está havendo discussões e que o ministro da Economia, Paulo Guedes, terá de “bater o martelo”.

“A (reforma) tributária é consensual pela necessidade de simplificar regras, mas quando você entra nos detalhes tem muita mudança setorial, aí fica muito mais complexo. A reforma administrativa é algo que todo mundo reconhece como necessária e uma parte do serviço público aceita e estimula”, disse Mansueto na segunda edição do Brasil Financial Summit, evento anual realizado pela Refinitiv.

A reforma administrativa está dentro do Pacto Federativo defendido pela equipe econômica e toca em pontos como estabilidade do funcionalismo público, redução da jornada de trabalho, de salários e reajuste de vencimentos.

A expectativa pelo envio do texto da reforma ao Congresso vem num momento em que a PEC que muda as regras da Previdência tramita no Senado Federal, que no começo de outubro impôs uma derrota ao governo ao derrubar regra que limitava acesso ao abono salarial.

Sem fazer referência direta a esse episódio, Mansueto disse que alguns reveses nesse sentido fazem parte do jogo político, mas o clima geral para discussão de reformas no país está positivo.(Reuters)