Jornal do Brasil

Economia

Pioneiros na luta contra a pobreza vencem o Nobel de Economia de 2019

A franco-americana Esther Duflo e os americanos Kramer e Banerjee dividirão o prêmio

Jornal do Brasil

Os economistas Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer ganharam o prêmio Nobel de Economia de 2019 por seus trabalhos no combate à pobreza global, anunciou nesta segunda-feira a Real Academia Sueca de Ciências.

A franco-americana Duflo se torna apenas a segunda mulher ganhadora do Nobel de Economia nos 50 anos de história do prêmio, além da mais nova, aos 46 anos. Ela dividiu o prêmio igualmente com os norte-americanos Kremer e Banerjee, que nasceu na Índia.

Macaque in the trees
Ganhadores do Nobel de Economia de 2019 (Foto: Karin Wesslen/TT News Agency/via REUTERS)

A Academia disse que o trabalho dos três economistas mostrou como o problema da pobreza pode ser resolvido dividindo-o em questões menores e mais precisas em áreas como educação e saúde, facilitando o enfrentamento dos problemas.

"Como resultado direto de um de seus estudos, mais de cinco milhões de crianças indianas se beneficiaram de programas eficazes de aulas de reforço na escola", afirmou a Academia em comunicado.

"Outro exemplo são os pesados subsídios para cuidados de saúde preventivos que foram introduzidos em muitos países".

O prêmio de 9 milhões de coroas suecas (915 mil dólares) foi uma adição posterior aos cinco prêmios criados pelo testamento do industrial e inventor da dinamite, Alfred Nobel, estabelecido pelo banco central sueco e concedido pela primeira vez em 1969.

Economia é o último dos prêmios a ser anunciado, com os vencedores de medicina, física, química, literatura e paz já tendo sido revelados ao longo da semana passada.