Mercosul busca acelerar aplicação de acordo com a UE

SANTA FÉ, Argentina (Reuters) - Os países do Mercosul se reunirão nesta quarta-feira na Argentina para agilizar a entrada em vigor do tratado de livre comércio fechado recentemente com a União Europeia e acelerar a assinatura de novos acordos.

Os presidentes de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai se encontrarão em Santa Fé menos de um mês depois de o Mercosul ter fechado com a UE acordo comercial.

Macaque in the trees
Abertura da cúpula de chefes de Estado do Mercosul em Santa Fé, na Argentina (Foto: Ministério das Relações Exteriores da Argentina/Divulgação via REUTERS)

O acordo deveria ser ratificado, a princípio pelos Parlamentos nacionais, mas os membros do Mercosul buscam agora evitar esse passo.

"Todos somos a favor de que (o acordo) possa ter uma entrada provisória em função da discussão que cada um (dos membros do Mercosul) está tendo diante de seus respectivos Parlamentos", disse na terça-feira à noite a jornalistas o chanceler argentino, Jorge Faurie.

Segundo o secretário de Relações Econômicas Internacionais da Argentina, Horacio Reyser, só é necessária a aprovação do acordo por parte do Parlamento europeu --e não de cada um de seus Estados membros --para que o tratado entre em vigor de maneira provisória.

A aprovação de maneira individual dos Congressos dos quatro membros do Mercosul e dos 28 Estados membros da UE poderia adiar em anos a ratificação e entrada em vigor do acordo.

Além disso, o Mercosul também está em negociações com o bloco EFTA --composto por Islândia, Noruega, Liechtenstein e Suíça-- e com o Canadá para alcançar tratados similares ao acordo com a UE. Os dirigentes buscarão também acelerar esses acordos.

Faurie disse que o Mercosul poderia chegar a um acordo com o EFTA na segunda metade do ano e com o Canadá no primeiro semestre de 2020.