Governo não deve forçar barra em comissão da Previdência, diz Ramos

Parlamentares aliados ao governo do presidente Jair Bolsonaro não devem "forçar a barra" ao buscar alterar o parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) na comissão especial da reforma da Previdência, disse nesta segunda-feira o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

Em entrevista a jornalistas após uma palestra no Banco Itaú, Ramos disse que o relatório de Moreira --que desagradou o ministro da Economia, Paulo Guedes-- é o texto que tem mais chance de obter apoio tanto na comissão especial quanto os 308 votos necessários para ser aprovado no plenário da Câmara.

Macaque in the trees
Marcelo Ramos (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Ramos disse ainda que o texto de Moreira garante economia próxima ao 1 trilhão de reais em uma década defendida pela equipe econômica encabeçada por Guedes.

"Acho que alguns aspectos da matemática são incontestáveis. Perto de 1 trilhão já está. O que o governo não pode é querer forçar a barra para o que ele não tem voto. Relatório bom é relatório que tem voto. O governo tem seis votos na comissão especial e não pode achar que com seis votos ele vai conseguir impor a sua vontade", disse Ramos.

(Reportagem de Eduardo Simões)