Petrobras: não há mais óleo vazando

A Petrobras informou ontem não ter encontrado no mar da Bacia de Campos, no litoral do Espírito Santo, óleo do vazamento ocorrido sábado durante operação de transferência de petróleo da plataforma P-58, com capacidade para 180 mil barris/dia de petróleo, para um navio petroleiro, no campo do Parque das Baleias (ES). A estatal disse que ainda não descobriu a causa do rompimento de um mangote que provocou o acidente que lançou no mar 260 mil litros de petróleo, a 80 quilômetros da costa capixaba. A empresa fez um sobrevoo do local no início da tarde de ontem.

O Ibama informou que continua monitorando o desastre ambiental com a Marinha e a ANP, mas ainda não divulgou punição à companhia. Segundo o Instituto, que acompanhou a operação de contenção do óleo, não há indicativo de que de que a poluição feita pela Petrobras vá chegar às praias da região, e não foram avistados animais atingidos. "Laudo técnico vai determinar a dimensão do dano ambiental e servirá de base para aplicação de sanções à Petrobras", disse o Ibama em nota no domingo. O Ibama identificou uma mancha de 2,4 quilômetros de extensão por 0,55 quilômetros de largura.

O Parque das Baleias está situado numa área que tanto produz petróleo na camada do pós sal como no pré-sal, é formado por cinco áreas e recentemente a estatal teve que cumprir uma determinação da ANP para unificar essas áreas produtivas em um só campo, o Novo Jubarte. Com a unificação, a Petrobras passa a ser obrigada a pagar Participação Especial ao governo.