EUA negociam com a China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ontem que o governo americano tem uma grande equipe na China tentando alcançar um acordo comercial e que Pequim quer muito fechar um pacto para negociações comercias

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, chegou à China afirmando estar "impaciente" por retomar o diálogo. Na quinta e sexta-feiras ocorrerão as negociações de alto nível na capital chinesa. Esta é uma reunião crucial antes de 1º de março, data limite dada por Trump para aumentar as tarifas, caso não haja um acordo comercial bilateral.

"É bom estar de volta aqui a Pequim. Esperamos com impaciência por esses dias importantes de negociações", disse Mnuchin em um hotel sem dar mais detalhes. Além dele, está em Pequim o representante comercial americano, Robert Lighthizer. Do lado chinês, comparecerão às reuniões o vice-primeiro-ministro Liu He e o governador do Banco Central, Yi Gang.

Balança

As exportações e importações da China cresceram em janeiro e Pequim confia que o comércio externo do país irá se estabilizar, apesar dos crescentes obstáculos em meio à desaceleração da economia global e incertezas relacionadas comerciais, afirmou ontem Chu Shijia, funcionário do Ministério de Comércio chinês.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais