China anuncia novas regras para entrada de capital estrangeiro

A China anunciou novas regras para aumentar a presença de investidores estrangeiros em seus mercados de capitais, em plenas negociações comerciais com os Estados Unidos.

Essas disposições, que ainda não entraram em vigor, eles foram publicados na quinta-feira pela autoridade reguladora do mercado (CSRC) com o objetivo de "atrair mais capital estrangeiro a longo prazo".

Macaque in the trees
Porto (Foto: Anthony WALLACE / AFP)

Uma das medidas é fundir os dois mecanismos existentes para que os investidores estrangeiros possam colocar capital na China, os chamados QFII (em dólares) e RQFII (em yuan), vigentes respectivamente a partir de 2002 e 2011.

Com essa fusão, a aprovação das operações será simplificada e mais rápida. Além disso, a obrigação de um investimento mínimo desaparecerá, disse o CSRC em seu site.

Em meados de janeiro, a autoridade chinesa que supervisiona o mercado de câmbio já anunciou que dobrará a cota que limita o QFII, que agora pode atingir um volume total de 300 bilhões de dólares.

Os estrangeiros também podem investir em fundos privados chineses, mercados futuros ou mercados de títulos secundários.

A Bolsa de Xangai, dominada por investidores individuais e muito instável, caiu quase 25% em 2018, e a de Shenzhen, 33%.

Por isso, as autoridades chinesas tentam equilibrar os mercados de ações, dando mais peso aos investidores institucionais e estrangeiros.