Jornal do Brasil

Economia

Juros: taxas futuras sobem com dólar em meio à liquidez menor e cenário fiscal

Jornal do Brasil

Os juros futuros passaram a exibir viés de alta em meio ao fortalecimento do dólar ante o real, após as taxas terem oscilado perto da estabilidade e sem direção única no início da manhã desta quinta-feira, 22. Os negócios contem uma liquidez menor em razão do feriado nos Estados Unidos, que deixa os mercados fechados no País.

No câmbio, a inversão de sinal para o lado positivo do dólar ante o real tem como pano de fundo uma cautela com o cenário fiscal do País, segundo um operador do mercado. Além do adiamento da votação da reforma da Previdência para 2019, não há garantias de aprovação da proposta de cessão onerosa no Congresso na próxima semana.

A busca por uma solução para o problema fiscal de Estados e municípios também continua sem uma solução clara. O Broadcast apurou que os entes poderiam vir a receber recursos via Fundo Social, proposta que deve ser colocada em votação na terça-feira (27) pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Também para a próxima terça-feira, é esperado que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), coloque em discussão a cessão onerosa sem emendas sobre a repartição dos recursos, o que permitiria que, após votação, o projeto siga direto à sanção presidencial, caso aprovado.

Às 9h51 desta quinta, o DI para janeiro de 2020 avançava a 6,930% ante 6,902% no ajuste de quarta. O DI para janeiro de 2021 subia a 7,910% ante 7,903% no ajuste de ontem. E o DI para janeiro de 2025 estava em alta a 9,650% ante 9,632% no ajuste anterior.

Mais cedo, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) informou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,4% em setembro ante agosto, segundo o Monitor do PIB. No terceiro trimestre, houve crescimento de 1,0% em relação ao segundo trimestre do ano.