Jornal do Brasil

Economia

Desaceleração da economia da China pesa e yuan atinge menor nível em uma década

Jornal do Brasil

O yuan atingiu o menor nível em mais de uma década em relação ao dólar nesta sexta-feira, refletindo o aumento da cautela dos investidores com a desaceleração do crescimento econômico da China e a intensificação do conflito comercial sino-americano. Durante a madrugada, a moeda americana chegou a ser cotada a 6,9772 yuans negociados em Hong Kong (mercado offshore).

Depois de quase 7% de alta em relação ao yuan até agora este ano, o dólar está prestes a atingir 7 yuans - um nível simbólico, que poderia desencadear mais vendas caso empresas chinesas decidam que isso indica a necessidade de expatriar capital antes de um declínio ainda maior da moeda chinesa, que foi negociado pela última vez acima de 7 yuans por dólar em maio de 2008 no mercado onshore, enquanto o comércio offshore foi introduzido somente em 2010.

Após chegar a mínimas desde 2008, o yuan chegou a se recuperar durante a madrugada, depois que o vice-preisdente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Pan Gongsheng, sinalizou que poderia intervir no mercado caso haja um enfraquecimento ainda mais acentuado da moeda. "Quanto àquelas forças que tentaram vendar a descoberto o yuan, lutamos um contra o outro anos atrás. A memória deve permanecer fresca para todos nós", afirmou, em uma coletiva.

Na avaliação do Citi, o PBoC não pode arcar com uma queda livre do yuan devido às crescentes preocupações de saída de capital. Já o diretor-gerente de estratégia de câmbio da BK Asset Management, Boris Schlossberg, apontou que o recuo da moeda chinesa deve "exacerbar" a disputa comercial entre Estados Unidos e China, já que o governo de Donald Trump deve ver o preço da moeda como uma tentativa de compensar os custos das tarifas americanas.

"Dado o fato de que os déficits no comércio de mercadorias aumentaram pelo quarto mês consecutivo, a política do governo Trump sobre o comércio claramente não está funcionando e a ação atual sobre as taxas de câmbio do dólar em relação ao yuan apenas deixará os mercados mais nervosos", diz Schlossberg. (Com Dow Jones Newswires)

 



Recomendadas para você