Jornal do Brasil

Economia

PIB do Brasil na lanterna

Alta de 0,2% só foi melhor que o México (queda de 0,1% no trimestre), Argentina e Turquia

Jornal do Brasil GILBERTO MENEZES CÔRTES, gilberto.cortes@jb.com.br

O Brasil ficou na lanterna no ranking do crescimento econômico do 2º trimestre, considerando a taxa anualizada do trimestre (+0,2%, que resulta em taxa acumulada de 0,8%). Este é o critério usado nos Estados Unidos, que cresceram 4,2% nesta base de comparação. A liderança foi da Índia (+8,2%), cujo PIB de US$ 2,85 trilhões ameaça encostar no da França (US$ 2,93 trilhões), a 7ª economia do mundo.

Repetindo o Brasil (9º PIB, com 2,10 trilhões) a França cresceu apenas 0,2% no 2º trimestre ou 0,8% em taxa anualizada. A China teve o segundo maior crescimento: 6,7%, com US$ 14,5 trilhões.


Maior economia do mundo, com US$ 20,4 trilhões, os Estados Unidos registraram crescimento recorde de 4,2%. Terceiro PIB do mundo, o Japão teve expansão anual de 1,9% no 2º trimestre, abaixo da Alemanha (4º PIB), com 2%. O Brasil ficou atrás do Chile, da Coréia do Sul, da Itália e só superou o desempenho do México (-0,1% no trimestre), e de economias em crise aguda, como a Argentina e a Turquia.


Uma pesquisa da agência brasileira de classificação de risco Austin Rating, que toma como base de comparação o mesmo trimestre de 2017, o crescimento de 1% do Brasil deixa também o país na lanterna. A Índia e a China cresceram 8,2% e 6,7%. Em terceiro ficaram as Filipinas, com 6,0%, seguidas de Egito e Peru (ambos com 5,4%), Indonésia e Chile (ambos com 5,3%), Polônia e Letônia (ambos com 5,1%). Em 10º no ranking ficou a Tailândia, com crescimento de 4,6%, empatada com a Hungria. Os EUA cresceram 2,9% frente ao 2º trimestre de 2017. Entre os países comparáveis com o Brasil, Coreia do Sul (2,9%) e México (2,7%) tiveram desempenho superior ao brasileiro.



Tags: pib

Recomendadas para você