Grupo de samba Moça Prosa se apresenta hoje na Cinelândia

Seis anos depois de ser criado na Zona Portuária, o grupo Moça Prosa, formado por nove mulheres, se apresenta hoje na Cinelândia, comemorando aniversário a partir das 19h no histórico palco do Teatro Rival.

 As cantoras Fabiola Machado e Jack Rocha integram o Moça Prosa, com Dani Andrade e Ana Priscila, que tocam diversos instrumentos de percussão, mais Luana Rodrigues (tantã), Michelle Souza (pandeiro), Taina Brito (surdo),  Cláudia Coutinho (cavaco) e Manoela Marinho (violão de sete cordas).

Elas começaram a tocar juntas em abril de 2012, em rodas de samba na Pedra do Sal, da Saúde, a partir de uma oficina mantida pelo percussionista Wagninho. 

Neste espetáculo especial, o grupo homenageia todas as mulheres que fizeram história no samba, como Clara Nunes (1942-1983), Clementina de Jesus (1901-1987), Jovelina Pérola Negra (1944-1988), Aracy de Almeida (1914-1988), Beth Carvalho, Leci Brandão e Alcione.

O repertório das moças também vai de vozes mais clássicas que circularam pelo gênero, a exemplo de Elizeth Cardoso (1920-1990) e Dolores Duran (1930-1959), a expoentes contemporâneas, como Mariene de Castro, Luiza Dionizio, Tereza Cristina e Ana Costa, entre outras.

Como não poderia deixar de ser, a apresentação de hoje homenageia ainda Dona Ivone Lara (1922-2018), que morreu há dois meses, em 16 de abril, aos 96 anos. Autora de sucessos, como “Mas quem disse que eu te esqueço” (em parceria com Hermínio Bello de Carvalho), ‘Sonho meu” e “Acreditar” (ambas com Délcio Carvalho), a compositora é considerada uma das principais da história do samba.

Apesar de ser formado exclusivamente por mulheres e de homenagear a presença delas no samba, o grupo não dispensa composições de homens, como João da Baiana, Donga, Heitor dos Prazeres, Pixinguinha, Noel Rosa, Cartola e Paulo César Pinheiro.

Serviço

TEATRO RIVAL

Hoje, a partir das 19h

Rua Álvaro Alvim, 33/37, subsolo - Cinelândia

Ingressos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Telefone: 2240-4469