Líder religioso saudita: 'Cinema é amoral'

Grande Mufti da Arábia Saudita, Abdul-Aziz ibn Abdullah Al Sheikh, caracterizou o cinema e apresentações artísticas de estrangeiros como "amorais".

Ao comentar a iniciativa de permissão de realização de shows de grupos estrangeiros na Arábia Saudita e o papel do cinema, Al Sheikh afirmou, citado pelo portal de notícias Sabq, que concertos e cinema "não têm nada de bom, eles dissolvem a moral, golpeiam os valores e incitam a mistura de sexos".

"No início, eles designariam áreas para mulheres [nos shows], mas depois homens e mulheres acabariam em uma área comum, o que corrompe a moral e destrói valores", disse ele.

Segundo ele, nos cinemas são mostrados "filmes obscenos, pornográficos, amorais e ateístas, vindos do exterior para alterar a cultura [saudita]".

Atualmente, a sociedade saudita está dividida entre partidários que defendem mudar os valores religiosos ultraconservadores, incluindo o princípio de segregação de sexos, e aqueles que apoiam o status-quo existente.