Chanel pode parar de fabricar o perfume usado por Marilyn Monroe

Atriz dizia que para dormir vestia apenas uma gota desta fragrância

“Apenas uma gotinhas de Chanel nº 5”. Foi com esta provocativa frase que, durante uma entrevista, Marilyn Monroe descreveu o que vestia para dormir e imortalizou o perfume da maison francesa. 

O perfume Chanel No. 5, icônico por quase um século, está em perigo. A Chanel ameaçou parar de fabricar o produto se a expansão de uma linha férrea na região de Provence não for impedida. 

O argumento é de que a passagem dos veículos em alta velocidade acabará com as pétalas das flores dali. São necessárias uma dúzia de rosas de maio e 1.000 flores de jasmim do vale de Siagne para fabricar cada garrafa de 30ml de Chanel No. 5.

Em uma carta aberta, a casa de moda francesa ameaçou fechar sua fábrica em Grasse - a capital do perfume do mundo - se a expansão da linha continuar. 

"É evidente que a construção de um viaduto e a passagem regular de trens de alta velocidade sobre seus campos de flores obrigaria a Chanel a interromper seu apoio a essas atividades artesanais na região", disse um comunicado da empresa fundada por Coco Chanel.

O projeto custa 6.7 bilhões de euros, irá construir um viaduto entre Le Muy e Cannes, passando por 12 hectares da plantação de flores, e reduzir as horas de viagem entre Marselha para Nice por uma hora.