Exposição aborda a sexualidade do escritor Caio Fernando Abreu

O Museu da Diversidade Sexual de São Paulo inaugura neste domingo (11) a exposição Caio Mon Amour, uma homenagem aos 20 anos da morte do escritor Caio Fernando Abreu. A mostra faz parte da programação especial dedicada a Caio, que contará também com filmes, espetáculos teatrais e shows.

A biografia do escritor gaúcho é retratada em uma linha do tempo, usando fotos e fragmentos de suas obras, que expõem questões ligadas à sua homossexualidade. Franco Reinaudo, diretor do museu, lembra a importância de se reforçar a existência de autores homossexuais consagrados na literatura.

“A gente tenta, enquanto museu da diversidade sexual, recuperar um pouco estes personagens tão importantes para a nossa história, a nossa cultura, e que eram homossexuais. Muitas vezes, as pessoas não reconhecem esse lado, e isso acaba sendo uma marca negativa. O Caio é um exemplo disso”, disse.

Com a curadoria de Paula Dip, amiga de Caio, que também produziu livro e filme sobre o amigo, a mostra destaca detalhes da vida e obra do escritor. “Ele passou pela experiência da aids e faleceu por conta disso. A obra dele está permeada dessa vivência. Ele falava muito do amor, da perda, o que a gente tentou retratar nessa exposição”, explica Franco.

Interatividade

Na mostra, foi montada uma plataforma para karaokê literário, em que os visitantes podem declamar poesias. Os espectadores poderão ainda destacar poemas e levar para casa, interagir com um mimeógrafo para imprimir poemas ou usar uma máquina de escrever para produzir a sua própria arte.

“O Caio escrevia muitas cartas, recados. Então, a gente deixou bloquinhos de recados, papel de carta, são atividades que tem a ver com escrever”, disse o diretor. A exposição segue em cartaz até 28 de janeiro, de terça a domingo, das 10h às 18h. O museu funciona dentro da Estação República do Metrô, na Rua do Arouche, 24.

Outras atrações

Além da exposição, haverá uma série de espetáculos e o show Cida Moreira convida Thiago Pethit, com repertório na linha da contemporaneidade da literatura de Caio Fernando Abreu, no Teatro Sérgio Cardoso.

A Biblioteca de São Paulo exibe os filmes Sobre Sete Ondas Espumantes e Linda uma História Horrível. A Biblioteca Parque Villa-Lobos apresenta sessões dos documentários Para Sempre Teu, Caio F.” e Pela Passagem de Uma Grande Dor.

O Museu da Imagem e do Som terá programação cinematográfica com curtas e longas-metragens como Sargento Garcia, baseado em um conto do autor e Para Sempre Teu, Caio F., e documentário de Candé Salles, inspirado no livro homônimo de Paula Dip. Após os filmes, haverá um bate papo.

Mais informações podem ser obtidas pelo site da Secretaria Estadual da Cultura.