Bienal de Ópera Atual exibe duas óperas inéditas nacionais na Escola de Música da UFRJ

A 1ª Bienal de Ópera Atual (BOA) ocorre nos dias 1, 2, 3, 15, 16 e 17 de setembro, no Salão Leopoldo Miguez, na Escola de Música da UFRJ. Serão apresentadas duas óperas inéditas e bastante diferentes entre si, ambas de compositores brasileiros: Ópera do Mambembe Encantado, de temática regional, criada pelo premiado compositor Eli-Eri Moura, com libreto do escritor Tarcísio Pereira; e Medeia, um clássico revisitado com música e libreto do pianista e compositor também premiado Mário Ferraro - diretor artístico do projeto.

A Bienal tem entrada franca e faz parte dos eventos de Música Erudita promovidos pela FUNARTE durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro.

“O nosso objetivo maior é o de fomentar a criação, a performance e a divulgação de espetáculos de ópera inéditos no Brasil, de tamanho e custo reduzidos, promovendo assim a sua popularização. Este festival vem, portanto, preencher uma enorme lacuna no conjunto das nossas produções culturais”, comenta Ferraro.

O elenco da primeira ópera reúne nomes como Homero Velho, Lara Cavalcanti, Flávio Leite e Gabriela Geluda. Os personagens de Medeia são interpretados por Doriana Mendes, Lorena Espina, Adalgisa Rosa,Gustavo Quaresma e Lício Bruno.

Os solistas serão acompanhados pela orquestra residente Abstrai Ensemble, grupo carioca de música de câmara contemporânea. Carlos Prazeres, maestro da Orquestra Sinfônica da Bahia, é o diretor musical.

A direção de cena é assinada por Marcelo Cardoso Gama, com assistência e coreografia de Rubem Gabira e design de luz de Luiza Ventura. Os cenários e figurinos são criados pelo artista plástico Ricardo Cosendey. Eles trouxeram Medeia para uma estética atual, minimalista, com elementos cênicos em tons que variam do branco ao preto. O cenário de Mambembe é quase o oposto, atemporal, colorido e realizado com materiais reciclados. Tanto Marcelo quanto Ricardo trazem na bagagem vasta experiência internacional, moraram cerca de 20 anos em Viena e trabalharam com diversos balés, óperas, eventos e festivais europeus.

Sinopses das óperas

Ópera do Mambembe Encantado

Composição: Eli-Eri Moura

Libreto: Tarcísio Pereira

Duração: 70 min

A ópera conta a história de um triângulo amoroso entre um palhaço, um mágico e uma bela malabarista que trabalhavam num circo mambembe do interior do Nordeste. Uma alegoria do conflito entre o imaginário e o real, desenvolve-se em uma fábula repleta de encantos e magias dentro do universo de opressão, preconceitos e miséria dos artistas circenses.

Medeia

Composição e libreto: Mario Ferraro

Duração: 100 min

Inspirada na tragédia grega de Eurípedes (431 a. C), a ópera narra a história de Medeia, princesa da Cólquida que se apaixonou por Jasão quando este veio ao seu país em busca do Velocino de Ouro, e, traindo os seus, usou seu conhecimento de magia para ajudá-lo a fugir e a vencer seus inimigos. Nossa trama inicia-se em Corinto, logo após Jasão ter abandonado Medeia e os filhos para se casar com Creúsa, filha do rei Creonte. Antes figura mística e poderosa, agora mulher traída e humilhada, Medeia decide então se vingar do marido, primeiro matando princesa e rei e, por último, matando também os próprios filhos, assim exterminando o futuro de Jasão na sua descendência.

 

Equipe criativa:

Mario Ferraro - Diretor artístico, compositor e libretista

Vencedor do Primeiro Prêmio no Concurso Nacional de Composição "Camargo Guarnieri" (2005), Doutorado em Composição - City University, London (2007-2012). Estreia de sua ópera de câmara The Moonflower em Londres (2011). Entre 2007 e 2016 teve obras executadas por músicos de orquestras como London Sinfonietta, Royal Academy of Music, London Symphony Orchestra e Nieuw Ensemble de Amsterdam. Três prêmios FUNARTE de Composição (2012 e 2014). Ahaiyuta e o Comedor de Nuvens, ópera para crianças, estreou em Londres e no Rio de Janeiro no 11º Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens, (2013). Desde 2003: Professor de Música do Colégio de Aplicação da UFRJ.

Eli-Eri Moura – Compositor

Leciona no Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, onde fundou o COMPOMUS (Laboratório de Composição Musical) e liderou a implantação da área de composição. Sua obra abrange a música contemporânea de concerto e a música incidental, tendo recebido por ela diversos prêmios. Lançou quatro CDs autorais. É Doutor em Composição pela McGill University, Canadá. É o compositor da Ópera Dulcineia e Trancoso (com libreto de W. J. Solha).

Tarcísio Pereira  - Libretista

Escritor, roteirista, jornalista e publicitário. Autor de vários livros e peças

cênicas, é também diretor teatral e já recebeu vários prêmios por sua obra literária e dramatúrgica. Em parceria com Eli-Eri Moura, já realizou os espetáculos: Os Sete Mares de AntónioAtrás de um Rabo de SaiaPaixão do Menino DeusMemorial-Musical de Luiz Gonzaga A Coragem e a CaraDe João para João (atualmente em cartaz), entre outros.

Carlos Prazeres – Diretor musical

Um dos mais requisitados maestros brasileiros de sua geração, Regente Titular da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), atua seguidamente como regente convidado da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES) no Rio de Janeiro, onde foi assistente de Isaac Karabtchevsky de 2005 a 2012. Já dividiu o palco com nomes como Nelson Freire, Hélène Grimaud, Gil Shaham, Maxim Vengerov, Ramón Vargas, Illya Kaller, Valentina Lisitsa, Antonio Meneses, Arnaldo Cohen, entre outros artistas consagrados. Tem dirigido importantes conjuntos sinfônicos no Brasil e no exterior, tais como a Orchestre National des Pays de la Loire, na França, Sinfônica Siciliana, Orquestra da Arena de Verona, na Itália, Filarmônica de Buenos Aires, na Argentina e OSESP (outubro de 2015).

Marcelo Cardoso Gama – Diretor cênico

Diretor brasileiro radicado há vinte anos na Europa, trabalha na Alemanha, Áustria, Suíça Finlândia, África do Sul e Brasil. Também atua no palco do Teatro Odeon, em Viena, onde participou das montagens de AnagóO Crepúsculo da Avantgarde e Der Barometermacher auf der Zauberinsel. Desde 2008, trabalha regularmente como artist-in-residence da Academia do Castelo Solitude, na Alemanha, onde sua criação principal foi a ópera coralCoragem Civil, comissionada pela Ópera Estatal de Stuttgart. Faz trabalhos de direção no Brasil desde 2009:Dido e EnéiasPepita JimenezUma Brisa e a ópera infantil Irmãos Grimm, no Theatro São Pedro, em São Paulo. Foi bolsista com duas premiações da Fundação Deutsche Bank, ator e músico em mais de cinquenta espetáculos teatrais e operísticos de importantes teatros europeus dentre os quais se destacam o Festival de Lucerna,Salzburger Festspiele.

Rubem Gabira - Coreógrafo e assistente de direção

Ator, cantor,  bailarino e coreógrafo, participou de mais de 20 musicais e algumas óperas entre Europa e Brasil. Principais trabalhos na Europa onde morou 12 anos: Ópera moderna Frida Kahlo (Alemanha/2001), ópera infantil Orfeu unter der Leiter (Viena/2006), Concerto Opereta Homenagem  Strauss (Viena/2007). Musicais : West Side Story, Joseph, La Cage aux Follies, Hair, Cabaret entre outros. No Brasil, principais trabalhos:  Não fuja da Raia e De pernas pro ar, com Claudia Raia, Estrela Dalva, com Marília Pera, Miss Banana, com Regina Duarte e Priscilla a rainha do Deserto (Em São Paulo, onde foi indicado como melhor ator de Musical para o "Prêmio Bibi Ferreira de Teatro Musica"l em 2012). Coreografou diversos musicais infantis e comerciais para a TV.

Ricardo Cosendey – Cenógrafo e figurinista

Estudou artes plásticas na Academia de Belas Artes de Viena, na Áustria. Foi por 15 anos cenógrafo e figurinista da companhia contemporânea de balé GERVASI, além de trabalhar nos festivais de verão das cidades de Stockerau e Amstetten, nos teatros Odeon, Metropol e Museunsquartier. No Brasil participou das montagens dos musicais:ChacrinhaSe eu fosse você e Sambra. Foi cenógrafo e figurinista da estreia brasileira da ópera Irmãos Grimm, noTeatro São Pedro, em São Paulo

 

DIREÇÃO & TÉCNICA:

Diretor Artístico: Mario Ferraro

Maestro/Diretor Musical: Carlos Prazeres

Diretor de Cena: Marcelo Cardoso Gama

Cenógrafo e Figurinista: Ricardo Cosendey

Coreógrafo e Assistente de direção:  Rubem Gabira

Designer de Luz: Luiza Ventura

Orquestra Residente: ABSTRAI Ensemble: Pedro Bittencourt (saxofones), Andrea Ernest (flautas), Batista Jr. (clarinetes), Daniel Serale (percussão), Katia Balloussier (piano), Mariana Sales (violino), Marcus Ribeiro (violoncelo), Larissa Coutrim (contrabaixo)

Músicos convidados: João Areias (trombone) e Nailson Simões (trompete)

Coordenação GeralARTEMATRIZ: Giane Martins e Éser Menezes

 

PROGRAMAÇÃO:

Cada ópera será apresentada 3 vezes, segundo o seguinte cronograma:

1, 2 e 3 de setembro: "A ÓPERA DO MAMBEMBE ENCANTADO", de Eli-Eri Moura e Tarcísio Pereira

15, 16 e 17 de setembro: "MEDEIA" , de Mario Ferraro

Serviço:

Data: 1, 2, 3, 15, 16 e 17 de setembro

Horário: 19h30

Local: Salão Leopoldo Miguez, Escola de Música da UFRJ

Endereço: Rua do Passeio, 98, Centro. Rio de Janeiro.

Entrada Franca

Mais informações:  www.operaatual.com 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais