Caetano Veloso pede fim de ocupações israelenses

Antes de show em Israel, cantor defendeu coexistência pacífica

O cantor Caetano Veloso pediu o fim das ocupações israelenses em territórios palestinos durante sua passagem por Tel Aviv - onde se apresentou na noite de ontem (28) ao lado de Gilberto Gil. "Chega de ocupação, de segregação e de opressão", disse o artista ao falar sobre a presença do Exército israelense na Cisjordânia e em Jerusalém oriental. A declaração foi dada antes do show com Gil, que celebra os 50 anos de carreira de ambos os cantores.

    Porém, mesmo criticando as atitudes do governo de Israel, Caetano rechaçou o movimento que boicota apresentações culturais no país por considerar que "há cidadãos que defendem a coexistência pacífica entre judeus e palestinos". Pouco antes de chegar à Tel Aviv, os dois brasileiros foram criticados pelo músico Roger Waters, ex-líder do Pink Floyd, que lidera o movimento contra shows em Israel.

    Porém, as mais de oito mil pessoas que compareceram à Arena Menora Mivtachim não ouviram nenhuma frase ou menção à situação entre os povos. Caetano e Gil conversaram com o público apenas sobre suas músicas e pediam para que todos cantassem com eles.

    A turnê "Dois amigos, um século de música" está fazendo uma série de apresentações pela Europa e Oriente Médio para celebrar a carreira de ambos os cantores. A partir de agosto, os dois começam as apresentações pelo Brasil. (ANSA)