Livro registra 29 dias de internação de Renato Russo em clínica de reabilitação

"Só por hoje e para sempre – Diário do recomeço" reúne desenhos, cartas, anotações e do cantor

O líder da Legião Urbana, Renato Russo, registrou os 29 dias, que passou internado na clínica Vila Serena, no Rio, entre abril e maio de 1993, para tratar do vício em álcool e drogas (cocaína e heroína). O material foi reunido e publicado em livro, "Só por hoje e para sempre – Diário do recomeço" (Companhia das Letras).

O lançamento da obra será neste sábado (25/7), no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP). Haverá exibição do filme "Faroeste caboclo" e do documentário "Rock Brasília – Era de ouro", além de debate, show e karaokê. A entrada é franca, mas algumas atividades são sujeitas à lotação do auditório.

O livro reúne desenhos, cartas, anotações e bilhetes, com reflexões e lembranças de um dos principais nomes do rock brasileiro dos anos 1980 e 1990.

Renato Russo fala sobre as relações com os parceiros de banda, amigos, família e aborda a homossexualidade. Nascido em 1960, Renato morreu em 1996, aos 36, em decorrência da aids.

Quem assina a introdução do livro é o único filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini. Sobre a internação, Giuliano escreve que “é um período crucial em sua vida, ao longo do qual ele se dedicou a um profundo (e por vezes doloroso) processo de autoconhecimento, reflexão e busca pela vida”