"É muito libertador fazer comédia", diz Pedro Almodóvar sobre novo filme  

"É muito libertador fazer uma comédia", afirmou Pedro Almodóvar na estreia espanhola de Los Amantes Pasajeros, fábula repleta de diálogos cintilantes, momentos surrealistas e um elenco recheado de estrelas, dirigida e com roteiro assinado pelo premiado cineasta. Lola Dueñas, Pepa Charro, Blanca Suárez, Miguel Ángel Silvestre e Hugo Silva conversaram com o Terra durante a maratona para promover o longa, que estreia em setembro no Brasil.

Além do elenco-base, Javier Cámara, Carlos Areces, Raúl Arévalo, Cecilia Roth (Tudo sobre Minha Mãe) e Antonio de la Torre são outros dos passageiros que fazem parte desta ampla produção, ainda contando com Antonio Banderas, Paz Vega e Penelope Cruz em pequenas participações. 

Para a produção, Almodóvar colocou em um avião com destino à Cidade do México um grupo heterogêneo de personagens que de repente se vê em perigo iminente. A situação faz os envolvidos caminharem entre a comédia e as catarses emocionais. 

Nas palavras do responsável pelo longa, o que é mostrado em cenas a 10 mil metros de altura tem um reflexo direto naquilo que se vive atualmente na Espanha.

"Há uma classe turista que fica dormindo porque a fizeram dormir para que não reajam. Há um abuso de poder nessa ação e os pilotos são os responsáveis. E o lema que dão à classe executiva é que aqueles da classe turista não lhes digam nada e saiam pela tangente, que é algo que sabemos muito bem, de dar as costas para o outro e não falar com ele."

Almodóvar ainda destaca o quão libertador foi fazer uma comédia, sensação que compartilha com todo o elenco, que vê o bom ambiente compartilhado durante as filmagens refletido no resultado final da produção. Segundo a atriz Lola Dueñas, intérprete de uma mulher com capacidades sensitivas, o diretor foi muito generoso ao oferecer ao público a oportunidade de fugir um pouco da difícil realidade atual.

Ainda que a leveza irreverente e a diversão de Los Amantes Pasajeros demonstre uma pausa nas já renomadas produções obscuras do diretor, como Abraços Partidos e A Pele que Habito, Almodóvar afirma que manterá seu foco a roteiros mais profundos, colocando seu próximo trabalho retornando ao drama, deixando de lado a comédia do novo longa.

Assim, o importante é aproveitar essa incitação ao "caos saudável", como classifica a atriz Pepa Charro, e deixar que esses "amáveis passageiros" nos ajudem a esquecer um pouco os nossos problemas. Nem que seja durante os 90 minutos nos quais se desenrola a produção.