Aberta a exposição fotográfica ‘Canudos – Memória do Mundo’

A revolta de Canudos é um dos episódios mais marcantes da História do Brasil. O movimento, liderado pelo Beato Antônio Conselheiro entre 1896 e 1897 no sertão baiano, só foi derrotado na 4ª expedição das tropas do Exército, quando foi massacrado pelo bombardeio dos soldados.

A exposição Canudos - Memória do Mundo, iniciativa em parceria do Museu da República-Ibram com o Senai-RJ, vai apresentar para o público as fotos de Flávio de Barros, fotógrafo contratado pelo Exército, que são os únicos registros visuais do conflito.

Esse arquivo de fotos, 69 ao todo, foi contemplado pela Unesco com o registro de Memória do Mundo, por sua importância para a memória coletiva da formação da sociedade brasileira e por serem os únicos registros visuais existentes do conflito religioso ocorrido no sertão baiano, no final do século 19.

Serão exibidas reproduções de todas as fotos e, pela primeira vez, o público poderá ver também os álbuns originais. Canudos sobreviveu ao exército, à República e a todos aqueles que quiseram apagar a sua memória.

A mostra contará também com um módulo onde serão exibidos vídeos, músicas, livros e várias interpretações da revolta, que continua viva até hoje na alma do povo brasileiro.

Está programada ainda para o próximo dia 27 de novembro, terça-feira, a exibição do filme Guerra de Canudos, de Sérgio Rezende, na Sala Multimídia do Museu, a partir das 18h, com entrada franca.

Serviço

Museu da República-Ibram - Rua do Catete, 153 – Catete.

Local: Palácio do Catete, 1º pavimento.

Abertura: 15 de novembro de 2012, às 11h.

Duração: até 15 de janeiro de 2013.

Visitação: terça a sexta, de 10h as 17h e sábados, domingos e feriados, de 14h as 18h.