Sessão de gala em Berlim para o longa 'Outubro'

Em noite memorável, público aplaude emocionado o clássico de Eisenstein

BERLIM - Dieter Kosslick, diretor do Festival de Berlim, ao destacar os pontos altos desta 62ª edição, afirmou que um deles seria a sessão de Outubro, integrante da retrospectiva intitulada Fábrica dos Sonhos Vermelhos, que homenageia os lendários estúdios germano-russos.

“Sem dúvida,será a première mundial, em sessão de gala, da cópia restaurada do extraordinário clássico de Sergei Eisenstein”, afirmou.

A sessão foi acompanhada da trilha sonora original do filme, composta por  Edmund Meisel (1894-1930),  pela Orquestra Sinfônica da Rádio de  Berlim e conduzida por Frank Strobel.

Rainer Rother, Diretor da Cinemateca Alemã, falou sobre a importância do filme. “Outubro é um exemplo importante dos filmes sobre a Revolução Russa, que marcaram fortemente a percepção do cinema soviético durante aquele período.  Especialmente, em conjunção com a música de Meisel, é realmente uma  experiência única”, declarou.

Outubro traça o desenvolvimento histórico da Revolução, de fevereiro até outubro de 1917, e mostra os eventos através de emocionantes sequências de montagem típica de Eisenstein. O filme foi comissionado pelo Comitê Executivo da União Soviética para comemorar o 10º aniversário da Revolução de Outubro. Posteriormente, o próprio governo soviético o julgou como “excessivamente formalista” e o baniu da telas russas.

A restauração foi realizada pelo Museu de Cinema de Munique, que adquiriu a cópia da Gosfilmofond em 1970, tendo sido acrescentados outros elementos vindos do Instituto de Cinema de  Amsterdã e dos Arquivos Federais do Departamento Fílmico de Berlim. A grande descoberta dessa apresentação é a trilha musical de Meisel, que foi ajustada para ser inserida na versão reconstruída.

 Antes do início da cerimônia,  o diretor manifestou sua satisfação com a première: “Outubro é uma obra prima da história do cinema. É fantástico que tivéssemos podido  mostrar à audiência esta versão restaurada, especialmente com o acompanhamento da Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlim. Tenho certeza que os espectadores de novas gerações aqui presentes também acharão o filme fascinante”, ressaltou.

Ao final, os créditos na tela foram acompanhados de entusiasmados aplausos da plateia do enorme Friedrichstadt Palast da antiga Berlim Oriental, que dava razão a Kosslick: a sessão com essa extraordinária obra do cinema soviético será lembrada como um dos pontos destacados da Berlinale 2012.