Diretor leva strippers e promove humor em Cannes

Orlando Margarido, Portal Terra

CANNES - Se não entusiasmou muito a plateia de jornalistas na primeira sessão dessa quarta (12), Tournée serviu para um encontro animado com a imprensa, provavelmente único nessa edição do festival. Junto com o diretor e ator Mathieu Amalric estavam todas as atrizes-strippers e um representante masculino da trupe americana que interpreta a si mesmo no filme.

Elas compareceram "montadas", com maquiagem propositadamente exagerada, roupas coloridas e muito bom humor. É assim que o grupo do chamado "new burlesque", um show cabaré de strip-tease, roda o interior da França na história graças ao agenciamento de um ex-produtor francês decaído, interpretado pelo próprio diretor.

É um filme que balança os números eróticos e alegres do palco com a melancolia dos dramas dos integrantes do grupo. Amalric diz que a origem do projeto não está na verdadeira trupe, que acompanhou por alguns anos antes de filmar. "Tudo partiu de um livro da escritora francesa Colette", disse, se referindo a L¿Envers Du Music Hall.

"Nele, ela relata sua experiência nas viagens pelo país com seu espetáculo". Inevitável a comparação do musical com os filmes do coreógrafo e diretor Bob Fosse, lembrado durante a coletiva, ao que Amalric concordou. "Como lá, quis falar da dureza da vida desses bastidores, mas também em geral, mas com muita festa contagiante".