Gabriela Durlo vive primeira protagonista em 'A história de Ester'

Paulo Ricardo Moreira , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Ao ser escalada para protagonizar A história de Ester, minissérie da Record que estreia quarta-feira, Gabriela Durlo teve um preocupação imediata: o enfoque religioso da história. Passada a surpresa inicial nem precisou fazer teste para o papel , a atriz paulista, de 26 anos, comemorou a chance de viver sua primeira protagonista na emissora, onde já participou das novelas Amor e intrigas e Vidas opostas e da série A lei e o crime.

Estou vivendo uma coisa inédita exulta a atriz, que é católica anglicana. Quando soube que era uma história bíblica, tive medo, porque não cabe a mim influenciar alguém a seguir esta ou aquela religião. Mas não falamos de religião, e isso me surpreendeu. Apesar de ser uma passagem bíblica, é uma história de amor.

Baseada no Livro de Ester, do Antigo Testamento, com adaptação de Vivian de Oliveira, a trama se passa por volta de 400 a.C., na antiga Pérsia, onde hoje é o Irã. Ester é uma jovem órfã judia que conquista o rei Assuero (Marcos Pitombo), torna-se rainha da Pérsia e influencia decisivamente o futuro do seu povo.

Um mês de preparação

Gabriela acredita que o papel vai ser um divisor de águas em sua carreira. Ela sabe que pode haver cobranças, assume a responsabilidade e garante não sentir qualquer pressão por parte da emissora:

Se eles estão assim, eu não sei. Desde que eu aceitei o convite até agora, foi tudo tranquilo e natural. Espero não decepcioná-los. Fazer a protagonista é a realização de um sonho.

Para a atriz, a maior dificuldade foi interpretar uma personagem que tinha 15 anos, embora na minissérie ela aparente ter 18.

Tive que resgatar a criança que existe dentro de mim, a inocência, o olhar mais curioso. Fiz vários exercícios e assistia a filmes com crianças para buscar esta inocência da personagem. Mesmo sendo uma rainha, ela não mudou o comportamento diz.

Antes de começarem as gravações, entre novembro de 2009 e janeiro deste ano, Gabriela passou por um mês de preparação. Fez workshops sobre história da época e aulas de equitação. Na minissérie, usou megahair, que deixou seus cabelos quatro vezes maiores do que o normal.

Ela revela que o mais difícil foi gravar cenas externas no Rio com calor de 40 graus.

Sofri por causa das roupas. Usava três ou quatro camisolas por baixo de um vestido. Foi uma luta nas gravações. O megahair também me incomodava, era muito quente.

Na trama, a jovem Hadassa muda seu nome para Ester e omite sua origem judaica para se casar com o rei Assuero, de Susã, região da Pérsia. Quando um dos ministros do rei incentiva o extermínio dos judeus do reino, ela arrisca a própria vida revelando a verdade ao marido e pedindo para que ele não mate seu povo.

Ester é de uma grandiosidade difícil de descrever diz a atriz, que destaca a coragem e a crença religiosa da jovem rainha. Ela me fez resgatar valores como a fé e a família, que é a base de tudo.

Ao custo de R$ 500 mil por capítulo, a minissérie da Record terá 10 episódios e será exibida duas vezes na semana (quartas e quintas), sempre às 23h.