Sexto convite para posar nua coroa Scheila como musa nacional

Portal Terra

SÃO PAULO - Se for preciso criar o protótipo da mulher brasileira, as medidas estão definidas: deverá ter 1m60, 35 anos, ser morena e atender pelo nome de Scheila Carvalho. Pelo menos se depender do imaginário masculino.

Depois de um tempo recolhida, período em que foi mãe, ela reapareceu neste Carnaval. E fez as demais disputas de avenida - Claudia Leitte x Ivete Sangalo na Bahia, Gracyanne x Viviane no Rio, Joelma da banda Calypso x Dilma da banda de Lula no Recife e lúmpen-celebridades como a Musa do Tapa-Sexo x Jaque Khury em São Paulo - parecerem brincadeiras inocentes.

O Carnaval foi palco para uma espécie de reestréia de Scheila, já que a ex-Tchan acaba de quebrar outro recorde: o de participações em capas da Playboy. Ela estrelará sua sexta edição da revista em abril. Dos cinco números mais vendidos na história da publicação, duas edições foram com Scheila.

Nesse universo masculino, aliás, ela reina em primeiro lugar como nenhuma outra mulher brasileira. Além das capas na Playboy, saiu nua na revista Sexy - e se transformou na única mulher a fazer Sexy e depois estrelar Playboy, já que normalmente a publicação de origem americana veta quem saiu na concorrente.

Outra marca imbatível nesse campo ela alcançou na eleição das 100 Mulheres mais Sexies promovida pela Vip. Tricampeã da eleição, Scheila foi cinco vezes capa da revista e se tornou hors-concours da disputa.

No ensaio com Scheila, a Playboy não deverá ter muito trabalho com o photoshop - programa de computação que corrige certas imperfeições. Pelo menos se depender do que foi visto na Unidos da Vila Maria durante a primeira noite de desfiles em São Paulo. Destaque da escola, Scheila mostrou o que se convencionou chamar de boa forma. Para justificar tamanha empatia estética diante da platéia masculina, ela diz que rala muito.

- Malho o ano todo- afirmou.