'Seria menos feliz sem filhos', diz Gabriel Braga Nunes sobre paternidade

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Gabriel Braga Nunes, 47, está descobrindo as delícias de ser pai. "Super coruja", como ele mesmo se descreve, o ator diz que tem adorado descobrir as várias fases do crescimento da filha, Maria, agora com 4 anos e fruto do casamento com a atriz e assistente de direção Isabel Nascimento Silva.

"Vai ficando cada vez mais legal. Quando era recém-nascido, eu amava. Aí falavam que 'vai ficando cada vez melhor', e eu achava que era impossível, porque eu gostava tanto de bebezinhos", comentou Nunes em entrevista. "Sou muito realizado como pai. Seria muito menos feliz se não tivesse tido filhos."

Já pensando em ter mais crianças, Nunes está morando em São Paulo e garante que tem dividido bem o tempo entre três amores: o trabalho, a família e sua nova banda de rock, a Hurricanes. Entre o baixo, guitarra e vocais, ele tem feito uma média de um show por semana entre bares e casas da capital paulista.

"Tocar 'classic rock' como eu estou fazendo me dá muito prazer. Era uma coisa que eu queria há muitos anos, mas com novelas todos os anos, a gente não consegue ir para os projetos pessoais", diz. "Já tive algumas bandas, mas essa está super bem. São Paulo tem um mercado de rock melhor que o do Rio. É o lugar para se ficar."

O fato de estar fora das novelas e dentro de séries facilita essa disponibilidade que o ator tem. Atualmente, ele está nas telas da Globo como Geraldo Bastos, na minissérie de dez capítulos "Se Eu Fechar os Olhos Agora", que começou no dia 15 de abril e é transmitida logo após "O Sétimo Guardião".

Nela, ele é casado com Adalgisa (Mariana Ximenes), uma mulher à frente de sua época, que veste calças e cores fortes. No entanto, trata-se de uma relação "de fachada".

"Eles eram dois típicos playboys dos anos 1950 e 1960", descreve Nunes. "Ele tinha grana, ela era deslumbrante. Os dois frequentavam Copacabana. Eles eram chiques, bacanas, super bem-vistos. E se casaram muito apaixonados. Só que no meio do caminho, foram se descobrindo atormentados."

"É uma relação que fica nessa balança entre os caras super 'bon vivants', mas que não conseguem ser completamente felizes por questões pessoais", completa. Na preparação para o personagem, ele diz que se inspirou nos políticos. "Fiquei pensando nessa maneira leve como os políticos poderosos fazem reuniões de negócios. Essa maneira leve de tratar coisas fundamentais."