Jornal do Brasil

Cultura

Acervo de Djama Corrêa, voltado à cultura popular, passará por restauro

Jornal do Brasil

Uma parte do vasto acervo de Djalma Corrêa - que tem como recorte os registros da cultura popular feitos pelo músico em suas andanças pelo Brasil - passará por um importante processo de restauro, digitalização e conservação. O projeto Acervo Djalma Corrêa: Música e Cultura Afro-brasileira, de autoria de Cecília de Mendonça - cujo doutorado tem como tema o acervo de Djalma -, foi contemplado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018 e terá início em abril. Entre o material que passará por esse processo, estão 60 fitas de áudio (rolo 7"), 500 imagens e 30 rolos de Super 8, que fazem parte do acervo de Djalma voltado para o estudo das culturas populares brasileiras, incluindo registros de pessoas, grupos, terreiros, festas populares, festivais e encontros culturais.

"Djalma Corrêa reuniu em sua trajetória um acervo muito extenso e muito rico. As primeiros gravações já têm mais de 50 anos. A maior riqueza desse projeto é a possibilidade de fazer esse trabalho de preservação do acervo na presença de Djalma, buscando qualificar cada registro sonoro, cada fotografia, cada filme através da memória do seu criador", ressalta Cecília, que sempre se dedicou aos estudos na área de culturas populares, do patrimônio imaterial e da música popular. "Quando soube da existência desse acervo, com uma diversidade enorme de registro pelo Brasil, logo vi a possibilidade de desenvolver um trabalho de pesquisa mais intensiva sobre esse acervo ligado aos registros da pesquisa de Djalma das culturas populares, da percussão afro-brasileira e do universo dos terreiros", ela conta. "Mas acaba que o trabalho tem seu lado biográfico e é impossível dissociar da sua atuação da chamada MPB. E consequentemente do seu acervo dos registro da música popular e da música erudita também." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.