'Roma' leva Oscar de melhor filme estrangeiro, o primeiro do México

"Roma", de Alfonso Cuarón, levou neste domingo (24) o Oscar de melhor filme estrangeiro, a primeira estatueta nesta categoria para uma produção mexicana, apontada como grande favorito da 91ª cerimônia de premiação da Academia de Hollywood, com dez indicações, incluindo de melhor filme.

O drama autobiográfico de Cuarón, considerado favorito nesta categoria, superou "Cafernaum" (Líbano), "Assunto de Família" (Japão), "Guerra Fria" (Polônia) e "Nunca deixe de lembrar" (Alemanha).

"Cresci vendo filmes em língua estrangeira, aprendendo muito com eles, me inspirando. Filmes como 'Cidadão Kane', Tubarão', e não há ondas, só um oceano. Acho que os indicados de hoje são prova de que somos parte do mesmo oceano", disse Cuarón ao receber a segunda estatueta da noite. Mais cedo, ele ficou com o prêmio de melhor fotografia.

O prêmio a este filme independente em preto e branco, falado em espanhol e em um dialeto indígena, representa um triunfo para a Netflix, que nunca antes tinha conquistado um prêmio nas principais categorias, inclusive a de melhor filme estrangeiro.

A entrega das cobiçadas estatuetas douradas começou com Regina King, vencedora na categoria de melhor atriz coadjuvante por sua interpretação no drama "Se a Rua Beale falasse".

King, de 48 anos, indicada pela primeira vez, superou a mexicana Marina de Tavira por "Roma", Amy Adams por "Vice" e Emma Stone e Rachel Weisz por "A favorita".

A atriz tem arrasado na temporada de premiações e era favorita ao prêmio máximo do cinema americano pela interpretação de uma mãe que defende o namorado da filha, injustamente acusado de estupro.

"Estar aqui representando um dos artistas mais grandiosos de nosso tempo, James Baldwin, é um pouco surreal", disse King em alusão ao autor do romance que Barry Jenkins adaptou e adaptou para o cinema.

O filme foi indicado em três categorias, incluindo melhor roteiro adaptado por Jenkins e melhor trilha sonora.

 

O ator Mahershala Ali ficou com a estatueta de melhor ator coadjuvante pela interpretação de um pianista clássico negro que viaja pelo sul dos Estados Unidos durante a segregação racial nos anos 1960, conduzido por um motorista branco, no filme 'Green Book - O Guia".

Ali, grande favorito na categoria, superou Adam Driver ("Infiltrado na Klan"), Sam Elliott ("Nasce uma Estrela"), Richard E. Grant ("Poderia me Perdoar?") and Sam Rockwell ("Vice").

Foi o segundo Oscar para o ator de 45 anos em três anos, depois do prêmio por "Moonlight" na mesma categoria.

"Homem-aranha no Aranhaverso" levou o Oscar de melhor animação, desbancando "Os incríveis 2", "Ilha dos Cachorros", "Mirai", "WiFi Ralph"".

A cerimônia começou com um show da banda Queen, que abriu a noite interpretando "We Will Rock You", cantado pelo líder do grupo, Adam Lambert.

A banda, na qual se baseia um dos indicados a Melhor Filme, "Bohemian Rhapsody", também empolgou o público na sequência ao interpretar outro sucesso, "We Are The Champions".

Mas para levar a estatueta, terá que desbancar o favoritismo de 'Roma'.

Se o filme de Cuarón ficar com o principal prêmio da noite, será a primeira vez que uma produção não falada em inglês será contemplada.