Todo mundo nasceu nu

NORMANDIA NUA (*** - Bom)

Divulgação
Credit...Divulgação

A nudez já foi destaque em filmes como "Ou tudo ou nada" (1997) e as "Garotas do Calendário" (2003). No primeiro, desempregados resolvem ser strippers para sobreviver. No segundo, a motivação é arrecadar fundos para um hospital. Em "Normandia Nua", uma pequena cidade francesa vive tempos difíceis com a queda dos preços da carne. Os criadores da região são gravemente afetados. Georges (François Cluzet), o prefeito, está tentando resolver a crise e vê a oportunidade em Blake Newman (Toby Jones), um renomado fotógrafo de nus coletivos que escolhe a cidade e seus moradores para seu próximo ensaio. Usando como referência o trabalho de Spencer Tunick, especialista em fotografar milhares de pessoas nuas em locais públicos, o diretor Philippe de Guay discute o comportamento diante da nudez e a mobilização das massas.

Macaque in the trees
François Cluzet é o prefeito em defesa da nudez (Foto: Divulgação)

A cidade se divide entre os que não aceitam tirar a roupa e os que consideram a ideia um benefício para atrair atenção. O curioso é que assim como nos outros dois filmes citados, a motivação é a mesma: tirar a roupa por uma necessidade básica. Nas fotos reais de Tunick, é um prazer estético. A nudez pública é um ato político e contestador, mais que isso, libertador. Mesmo com algumas subtramas trabalhadas superficialmente, o filme sabe concluir a questão de modo realístico e humano.

*Membro da ACCRJ



François Cluzet é o prefeito em defesa da nudez
François Cluzet é o prefeito em defesa da nudez