Neorrealismo na existência cotidiana: confira a crítica de 'Made in Italy'

O filme é inspirado no álbum homônimo do roqueiro Luciano Ligabue, que também e diretor e roteirista. Com alguns longas no currículo, a escolha de Luciano é ousada. A trama gira em torno da redenção de um homem comum, cuja vida não conta com acontecimentos extraordinários - como grande parte da humanidade.

Riko (Stefano Acorsi) é um trabalhador de uma fábrica de cidade pequena, ganhando pouco fazendo salame (mas ainda tendo um emprego ao contrário de diversos amigos cinquentões), vendo sua aposentadoria cada vez mais distante e uma grande fuga de italianos em busca de oportunidades fora do seu país. Casado com Sara (Kasia Smutniak) e com um filho prestes a ser o primeiro a ir para uma universidade, faz uma escapada para Roma. Um passeio com amigos que termina no meio de um protesto, onde enfim coloca sua raiva e frustrações para fora.

Macaque in the trees
Gente como a nossa gente (Foto: Divulgação)

O resultado deste ato, muda todo o olhar do filme, levando Riko a uma tentativa de recuperar seu casamento e buscar por uma oportunidade diante de uma adversidade que irá surgir. O carismático Acorsi e tempestiva atuação de Kasia somados à bela fotografia do filme são os destaques dessa história de alienação, redenção e esperança. "Made in Italy" flerta com o neorrealismo e apresenta uma vida ordinária nua e crua, além de uma Itália mais próxima do Brasil do que se pode imaginar.

Assistente de direção e jornalista

______________________________

MADE IN ITALY: ** (Regular)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom