Olhar ameno sobre o fim

Peter Jackson fará documentário sobre a gravação de 'Let it be', derradeiro álbum dos Beatles

Em janeiro de 1969, John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr entraram nos estúdios da Abbey Road pela última vez para gravar juntos. "Let it be" só viria a ser lançado em maio do ano seguinte. Biógrafos, fãs e o público em geral atribuem a esse período um autêntico inferno na convivência entre os quatro beatles. O clima na banda já não era o mesmo a ponto de Acredita-se que a banda estava insatisfeita a ponto de George Harrison descrevê-lo como o "pior de todos os tempos" e John Lennon resumiu em uma palavra: "um inferno". Mostrar os bastidores de como foi esse processo é a nova missão do diretor Peter Jackson, que se debruçou sobre 55 horas de imagens de estúdio da gravação do álbum para produzir um documentário, ainda sem data de lançamento definida

Macaque in the trees
Os Beatles, durante o histórico concerto no terraço do prédio da gravadora Apple, o último registro da banda se apresentando ao vivo (Foto: Apple/Divulgação)

"Fiquei aliviado ao descobrir que a realidade é muito diferente do mito", comenta o cineasra neozelandês. "Claro que há momentos de drama, mas nenhuma das discórdias com as quais este projeto foi tão associado pelas pessoas. Assistir John, Paul, George e Ringo trabalharem juntos, criando músicas agora clássicas do zero, não é apenas fascinante: é engraçado, edificante e surpreendentemente íntimo", completa o vencedor do Oscar com a trilogia "Senhor dos anéis".

As filmagens foram originalmente planejadas para um documentário de TV e, eventualmente, formaram a base de um longa também intitulado "Let it be". Sua imagem mais conhecida é o concerto surpresa que a banda promoveu no terraço do prédio da gravadora da Apple Corps em Savile Row, Londres, em 30 de janeiro de 1969, justamente o último registro do Beatles tocando juntos.

Apesar de ver a reta final da banda com um olhar mais ameno sobre as conhecidas desavenças entre os quatro, Jackson não planeja reescrever a história do grupo que mudou os rumos da música. Para ele, trata-se da "derradeira experiência de voar na parede" com a qual os fãs dos Beatles há muito sonhavam. "É como uma máquina do tempo que nos transporta de volta a 1969. E nós nos sentamos no estúdio vendo esses quatro amigos fazerem ótimas músicas juntos", insiste.

Macaque in the trees
O diretor neozelandês Peter Jackson anuncia que vai produzir um documentário sobre as gravações 'Let it be', o último álbum dos Beatles, lançado em 1970 (Foto: Divulgação)

Embora se coloque como um empolgado fã do Fab Four, Jackson não se considera um expert no assunto. "Não sou um especialista musical, mas cresci ouvindo a música deles", explica.

O diretor que levou para as telas o clássico "Senhor dos anéis" lembra uma curiosa situação envolvendo o escritor J.R.R. Tolkien e os rapazes de Liverpool. Os Beatles pretendiam adquirir os direitos da obra para levá-lo ao cinema com os integrantes da banda interpretando alguns personagens da história. John queria interpretar o Gollum, Paul seria Frodo. Pela vontade da banda, Stanley Kubrick seria o diretor. Mas o plano foi abortado por Tolkien. "John estava conduzindo as negociações com Tolkien que ainda tinha os direitos do filme naquele momento, mas ele não gostou da idéia dos Beatles fazendo isso", recorda. "Provavelmente haveria canções incríveis neste filme", especula Jackson cujo último trabalho foi o aclamado documentário "They shall not grow old", que colorizou imagens da Primeira Guerra Mundial.

Macaque in the trees
O casal John Lennon e Yoko Ono com Ringo, Paulo e George no estúdio (Foto: Apple/Divulgação)

 



Os Beatles, durante o histórico concerto no terraço do prédio da gravadora Apple, o último registro da banda se apresentando ao vivo
O casal John Lennon e Yoko Ono com Ringo, Paulo e George no estúdio
O diretor neozelandês Peter Jackson anuncia que vai produzir um documentário sobre as gravações 'Let it be', o último álbum dos Beatles, lançado em 1970