Jornal do Brasil

Cultura

Discos de estreia unem Qinho e Rubel

Jornal do Brasil

Separados por seis anos e unidos por relações familiares e pelo caráter autoral e minimalista, gravados praticamente nas casas dos músicos, os álbuns de estreia de dois cantores da cena independente do Rio marcam o encontro de hoje do festival A.Nota, no Teatro Ipanema – o último deste ano.

Frequente intérprete, tendo lançado neste ano um álbum só com canções do repertório de Marina (Lima) e com diversos trabalhos sobre a música de cantores brasileiros com nuances de soul e blues, como Hyldon e Luiz Melodia, Quinho completa em 2019 os dez anos de seu primeiro álbum solo, “Canduras”.

Gravado em 2009, após a dissolução de sua banda Vulgo Qinho e os Cara, “Canduras” mostrou um cantor e compositor voltado para a intimidade de seu cotidiano, em uma MPB moderna, centrada em voz e violão, com acréscimos de outros instrumentos – variados e, por vezes, nem tão usuais – em cada faixa, mas sem ter um arranjo com banda fixa. A temática de canções como “Bom dia” (parceria dele com Ericson Pires) e “Mais de uma janela”.

Concunhado de Qinho, natural de Volta Redonda, Rubel, o cantor Rubel também lançou mão de um instrumental mais cru, em sua estreia, com “Pearl”, de 2015.

Suas sete faixas mostram influências claras do folk americano, com uso de banjo, bandolim e acordeom (alguma guitarra também), e partes de letras em inglês na faixa de abertura “O velho e o mar”, em que ele pega emprestado o título do romance de Ernest Hemingway.

Nessa linhas mais minimalista de folk e MPB, o show de hoje é todo na base de voz e violão. “Vamos tocar só nós dois, cada um com o seu violão. Dividir o palco com o Rubel é sempre uma alegria e estaremos juntos a maior parte do show. A irmã dele é casada com o meu irmão. Somos família”, conta Qinho,que já fez uma participação num show do concunhado – apresentação completa juntos, é pela primeira vez.

Mantendo os encontros familiares, o A.Nota volta em 15 de janeiro, juntando o guitarrista Bem Gil e o cantor e multi-instrumentista Moreno Veloso, filhos dos manos Gilberto Gil e Caetano Veloso.

-----

SERVIÇO

FESTIVAL A.NOTA

Teatro Ipanema (R. Prudente de Morais, 824 - Ipanema; Tel.: 2267-3750). Hoje, às 21h. Ingressos a R$ 20. Capacidade: 193 espectadores.