Palcos da cidade recebem dois dos shows mais esperados do fim de ano, com Roberto Carlos e a parceria de Maria Bethânia e Zeca Pagodinho

De volta ao Maracanãzinho para duas apresentações neste fim de semana, Roberto Carlos abriu show extra às 18h30 de domingo depois de os ingressos para amanhã se esgotarem. Preparando-se para lançar seu 33º álbum de estúdio, com canções inéditas, inclusive em espanhol, o Rei tem a balada “Regresso” como primeiro single – ou “música de trabalho”, como se dizia nas décadas de 1970 e 1980, quando começou a sua tradição natalina.

A nova canção também dá sequência à retomada de hits inéditos. Em 2017, o ídolo emplacou “Sereia”, incluída na novela das 21h da Globo “A força do querer”, de Glória Perez. Também estourada após aparecer em outra trilha sonora, de “Salve Jorge” (da mesma autora, na mesma emissora), a ode à autoconfiança “Esse cara sou eu” está confirmada para o repertório de Roberto Carlos, que canta acompanhado por 14 músicos de banda e orquestra sob o comando do maestro Eduardo Lages, com o qual trabalha desde 1977.

Em shows programados para 1h50 de música, estão previstos sucessos como “Lady Laura”, em homenagem à mãe; a religiosa “Jesus Cristo”, a romântica “Como é grande o meu amor” – uma de suas mais famosas parcerias com o Tremendão Erasmo Carlos – ,um pot-pourri de rocks da Jovem Guarda e, é claro, “Emoções”.

Macaque in the trees
Roberto Carlos faz dois shows no Maracanãzinho, amanhã e domingo (Foto: Caio Girardi/Divulgação)

Na sequência das apresentações no Maracanãzinho, o cantor e compositor nascido em Cachoeira do Itapemirim, no Espírito Santo, em 1941, já tem programado seu especial anual de fim de ano na Globo. Ele vai ao ar às 22h25 da sexta-feira da próxima semana, dia 21, tendo como um dos convidados especiais seu filho Dudu Braga e sua banda. Também comparecem o espanhol Alejandro Sanz, o sertanejo Michel Teló, a versátil Zizi Possi e a atriz Marina Ruy Barbosa.

Do Recôncavo à Baixada

Já na Barra da Tijuca, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho cantam hoje na turnê conjunta “De Santo Amaro a Xerém”, retomada em novembro, depois de obter lotação esgotada em Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília.

Depois de gravar DVD e CD duplo no Citibank Hall em São Paulo, pela gravadora Biscoito Fino, os dois sobem juntos ao palco do KM de Vantagens Hall – antigo Metropolitan – às 22h de amanhã, em show previsto para pouco mais de uma hora e meia.

A parceria começou em outra gravação de CD/DVD, de “O Quintal do Pagodinho”, em 2016, quando cantaram juntos “Sonho meu”, de Dona Ivone Lara – que viria a partir em abril deste ano, aos 96 anos. Dividido pelos dois, o repertório tem duos como “Você não entende nada” (Caetano Veloso), emendada com “Cotidiano” (Chico Buarque), além de músicas compostas especialmente para a parceria, uma delas também do mano Caetano: “Amaro Xerém”, um samba de roda à baiana escrito para o show a pedido da irmã. Leandro Fregonessi comparece com “De Santo Amaro a Xerém” e “Pertinho de Salvador”, enquanto Adriana Calcanhoto os presenteou com “A Surdo 1”, com letra sobre a Mangueira.

Em seus momentos solo, Bethânia ataca de “Falsa baiana” (Geraldo Pereira), “Negue” (Adelino Moreira e Enzo Almeida Passos), “Reconvexo” (Caetano Veloso) e “Ronda” (Paulo Vanzolini), entre outras. Zeca revisita pagodinhos dele, como “Não sou mais disso” (com Jorge Aragão) e de seus compositores preferidos como a dupla Monarco e Ratinho (“Vai vadiar”, “Coração em desalinho”), além do baiano Roque Ferreira – “Samba pras moças”, que ele compôs com Grazielle e marcou o início da grande retomada de sucessos da carreira do carioca, lá em 1995.

Em separado, também cantam suas escolas de samba do coração. Maria Bethânia celebra a verde-e-rosa em “Chico Buarque da Mangueira” (Nelson Dalla Rosa, Vilas Boas, Nelson Csipai e Carlinhos das Camisas), “Exaltação à Mangueira” (Enéas Brites da Silva e Aloísio Augusto da Costa) e, claro, “Atrás da Verde-e-Rosa Só Não Vai Quem já Morreu” (David Correia, Paulinho Carvalho, Carlos Senna e Bira do Ponto), homenagem aos Doces Bárbaros – projeto coletivo dela com Caetano, Gilberto Gil e Gal Costa, em meados da década de 1970.

Macaque in the trees
Zeca e Bethânia se apresentam sábado no Km de Vantagens Hall (Foto: Marcos Hermes/Divulgação)

Zeca exalta a águia azul-e-branco de Madureira, em “Portela na Avenida” (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), “Lendas e mistérios da Amazônia” (Catoni, Jabolô e Valtenir) e a obrigatória “Foi um rio que passou em minha vida” (Paulinho da Viola).

A direção musical é de Jaime Alem (violão) e Paulão Sete Cordas (violão) e a banda é formada pelos dois, mais Rômulo Gomes (baixo), Paulo Dafilin (violão e viola), Marcelo Costa (bateria/percussão), Jaguara (percussão), Esguleba (percussão), Alessandro Cardozo (cavaquinho) e Vitor Mota (sax e flauta).

A luz é assinada por Maneco Quinderé, o figurino de Maria Bethânia por Gilda Midani e o de Zeca Pagodinho por Juliana Maia.

“Quando marcamos os shows, conversamos, Zeca e eu, sobre o que nos une. O samba de roda da Bahia, o samba do Rio de Janeiro, a música, o gosto musical de cada um. Ele é um extraordinário intérprete do samba bem construído baiano. Falamos muito do que unia Santo Amaro e Xerém, Portela, Mangueira, sobre o prazer da cena”, conta Bethânia sobre o projeto, batizado em referência à cidade natal dela – Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano – e ao distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde Zeca tem seu sítio.

-----

SERVIÇO

ROBERTO CARLOS Maracanãzinho (Av. Presidente Castelo Branco, Radial Oeste Portão 3. Hoje, às 20h. Ingressos esgotados. Amanhã, às 18h30. Ingressos de R$ 40 a R$ 750. Detalhes e vendas online pelo site www.myticket.com.br.

MARIA BETHÂNIA E ZECA PAGODINHO

Km de Vantagens Hall ( Av. Ayrton Senna, 3.000, Shopping Via Parque - Barra da Tijuca; Tel.: 2516-7300. Amanhã, às 22h. Ingressos de R$ 125 a R$ 500. Detalhes e vendas online pelo site http://kmdevantagenshall.ipiranga.



Zeca e Bethânia se apresentam sábado no Km de Vantagens Hall
Roberto Carlos faz dois shows no Maracanãzinho, amanhã e domingo