Feira Oriente reúne trabalhos de 50 fotógrafos durante quatro dias na charmosa Villa Aymoré, com festa, palestras, workshops e show de jazz

No ano passado, a equipe do Ateliê Oriente teve uma ideia para driblar a pouca oferta de galerias na cidade, em relação à quantidade de fotógrafos à procura de espaços para exporem seus trabalhos.

Bem de acordo com sua filosofia, de atuar como um hub de fotografia, incluindo de professores a agência de audiovisual, de galeria a laboratório de impressão digital, o ateliê sediou o Fotoarte, expondo em sua sede, na Rua do Russel, as obras de 20 fotógrafos, colocando-os em contato direto uns com os outros e com potenciais compradores.

A ideia funcionou tão bem que, neste ano, a mostra conjunta precisou ser transferida para um local maior, a fim de abrigar mais do que o dobro de participantes. Além das fotos em exposição, os organizadores ainda aproveitam o espaço aberto da Villa Aymoré, também na Glória, para conjugar o evento à programação musical, visando a reunir mais público e rebatizando o evento como Feira Oriente, conforme sua ampliação, indo de hoje até domingo.

“A ideia da Feira Oriente é de ser muito maior e ocupar um espaço público, mesmo porque a procura cresceu. Por isso, a gente quis ir para a Villa Aymoré, podendo ter mais artistas”, resume Adriana Braga, coordenadora da Galeria Oriente.

Para expor suas fotos na feira, os candidatos já passaram pela seleção de quatro curadores, escolhidos pela equipe do Oriente, mas que não fazem parte de seus quadros.

Cerca de 50 fotografias foram selecionadas para estarem à mostra a partir das 14h de hoje na Villa Aymoré, entre expositores que vão do fotojornalismo (Marco Antonio Cavalcanti, Gerso Feres Biscotto, Júlio César Biscotto) a perfis mais conceituais (Stella Margarita, Luiz Bhering), passando por fusões com outras formas de arte, como pintura e colagens (Laura Villarosa).

“Fizemos esforço para caber o maior número, são todos profissionais, de alto nível. A Villa, já nossa parceira ajudou muito em ceder o espaço”, ressalta Adriana, que também comanda palestra, às 16h de domingo, junto a Wagner Ferrer.

“Um olhar sobre a carreira artística” é voltada, segundo ela, para “artistas mais novos, que querem planejar, mas erram muito quando fazem editais, residência”.

Já sob a pergunta “Somos todos editores”?, no sábado, também às 16h, o fotógrafo Rony Maltz dá dicas de como fazer um livro.

Para a fotógrafa Kitty Paranaguá, uma das fundadoras do Ateliê Oriente, a feira “atende a um mercado muito diferente, em que o artista se inscreve direto, passa por uma curadoria e comercializa direto a obra dele, sem intermediários”, devido ao público envolvido.

“Além disso, o evento acaba aproximando vários artistas, isso pode se desdobrar em parcerias. Ajudar essa roda a girar”, acrescenta.

Hoje, a Feira Oriente tem festa de abertura, a partir das 20h, com os DJs Mito, Bruno LT e Ariel Freitaz.

Amanhã, também há música em paralelo às imagens, com o jazz do Allbrazz Quarteto. A banda, que já toca regularmente às sextas-feiras, na Praça da Villa Aymoré, se apresenta a partir das 18h.

----

SERVIÇO

FEIRA ORIENTE VILLA AYMORÉ. Ladeira da Glória, 26. Tel.: 4136-1550. Hoje a domingo, das 14h às 20h. Programação completa em www.atelieoriente.com/feiraoriente. Entrada gratuita.