Pela porta dos fundos: confira crítica de 'Excelentíssimos'

O processo sofrido contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que culminou em seu impeachment, fez brotar uma urgência na comunidade cinematográfica nacional. Após o lançamento com sucesso de “O processo”, de Maria Augusta Ramos, e antes de vermos a visão de Petra Costa e Lô Politi no próximo ano sobre o caso a partir de outros pontos de vista, chega a vez de o único homem do grupo lançar sua versão. A Câmara dos Deputados é o palco de “Excelentíssimos”, filme que sofre de um problema de desapego do material filmado.

Claro que entendemos a urgência dos fatos, a cólera com alguns personagens, o sentimento de impotência diante de certas passagens, mas manter o interesse e a necessidade de 2h30 de projeção, dentro de um quadro acompanhado tão de perto e há tão pouco tempo, indica uma provável insegurança com o roteiro. Ainda assim, o filme de Douglas Duarte captou momentos impactantes de tipos que entrarão para a História pela porta dos fundos.

Macaque in the trees
Filme de Douglas Duarte tem momentos de impacto (Foto: Divulgação)

Douglas tem depoimentos que trazem contradições sobre seus personagens que só enriquecem sua obra, além de um lugar privilegiado de foco que o situa como testemunha ocular de um tempo - a cena das ‘torcidas’ assistindo à votação do impeachment é seu momento máximo. Tivesse ele sido mais dinâmico em sua visão, teria transformado seu longa em uma peça imprescindível de análise futura. O que aparece na tela ainda tem potência suficiente para provocar uma reflexão que a política ainda não fez.

______________________________

Excelentíssimos: ** (Regular)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom