Cinderela moderna: confira crítica de 'Cinderela e o príncipe secreto'

Primeiro trabalho solo de Lynne Southerland na direção de longas-metragens, “Cinderela e o príncipe secreto” (“Cinderella and secret prince”, 2018) é uma versão moderna do clássico conto de fadas, que ousa ao apresentar a princesa como uma jovem decidida e destemida que embarca numa aventura para ajudar seu grande amigo.

Macaque in the trees
Animação de Lynne Southerland moderniza o tradicional conto de fadas (Foto: Divulgação)

Brincando com ingredientes advindos dos estúdios Disney e DreamWorks Animation, sobretudo “Shrek 2” (Idem, 2004), esta animação flerta com produções como “O senhor dos anéis: a sociedade do anel” (The lord of the rings: the fellowship of the ring, 2001) e o seriado “Lost” (Idem, 2004), remetendo ao monstro de fumaça que aterrorizava a ilha e seus habitantes. Mesmo sem a qualidade gráfica de animações de grande orçamento, “Cinderela e o príncipe secreto” consegue dialogar com o público ao subverter o clássico e trabalhar a figura da Gata Borralheira por trás do herói romântico, colocando o príncipe no centro das atenções. É uma opção divertida para o Dia das Crianças. *Membro da ACCRJ

______________________________

CINDERELA E O PRÍNCIPE SECRETO: ** (Regular)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom