Cypress Hill junta novo álbum aos 25 anos de Black sunday, no Santo Cristo

Pela primeira vez no Rio de Janeiro em mais de duas décadas, o grupo americano de rap Cypress Hill aporta hoje no Hub RJ como principal atração de uma festa de hip hop, programada para adentrar a madrugada com o som dos DJs Saddam, Tamenpi, Jimmy Jay e Tamy. A abertura fica por conta do MC Marechal, um dos principais da cena carioca.

Com 18 milhões de álbuns vendidos, o grupo formado em 1988, em South Gate, vizinha a Los Angeles, chega à Zona Portuária na esteira do recém-lançado “Elephants on acid” e dos 25 anos de“Black sunday”, que estourou com defesa declarada da legalização da maconha e bases em pronunciadas linhas de baixo.

Macaque in the trees
Da esquerda para a direita, Eric Bobo, B Real, Mr. Master Mike e Sen Dog comandam o hip hop esta noite (Foto: Divulgação)

“Elephants on acid” foi totalmente produzido pelo DJ Muggs, que retornou ao grupo em 2014, após dez anos fora, mas agora foi substituído por Mix Master Mike, que trabalhou os Beastie Boys e comanda as pick ups do Cypress Hill esta noite.

Muggs construiu bases psicodélicas para o álbum, que ainda traz faixas com títulos em homenagem a clássicos do rock dos anos 1960 e 1970, como “Band of Gypsies” – nome da banda de Jimi Hendrix que sucedeu o Experience – e “Stairway to Heaven” – homônimo ao da balada do Led Zeppelin.

“Rock’n’roll sempre esteve entre os tipos de música que me interessam, mesmo antes de cantar rap”, lembra Louis Freese, o B Real, responsável pelo vocal anasalado que caracterizou faixas clássicas de “Black sunday”, como “I ain’t going out like that”, a explícita “I want to get high” e “Insane in the brain”.

Hoje, ele divide o Cypress Hill com os Prophets of Rage, onde é um dos vocalistas, junto a Chuck D, do Public Enemy, sobre o instrumental de integrantes de Audioslave e Rage Against The Machine.

Das vindas no Rio em 1995 e 1996, B Real se lembra do contato com o Planet Hemp, que abriu seu primeiro show carioca. “Não tenho contato com eles há algum tempo, mas ficamos logo amigos e eles me mostraram mais hip hop brasileiro”, lembra B-Real, que está no Cypress Hill desde o início, junto com o cubano Senen Reyes, o Sen Dog, responsável pela segunda voz, mais grave – a eles e a Muggs, em 1993, se juntou o baterista Eric Bobo Correa, que também segue até hoje.

O show de hoje deve mesclar “Black sunday” e “Elephants on acid” a hits de outros álbuns, como “Illusions” e “How could I just kill a man”. Sobre a maconha, hoje legalizada em diversos estados americanos, se orgulha de ter sido o primeiro grupo de hip hop a defendê-la. “Nos inspiramos no legado de Bob Marley e Peter Tosh.

--------

SERVIÇO

CYPRESS HILL

HUB RJ (Av. Prof. Pereira Reis, 50 - Santo Cristo; Tel.: 97173-1502 Abertura, às 22h, com MC Marechal. Ingressos de R$ 60 a R$ 350 (com direito a open bar). Meia-entrada mediante doação de 1 kg de alimento não perecível.