Jornal do Brasil

Cultura

'Juliet, Nua e Crua', comédia romântica cheia de estilo

Jornal do Brasil

Juliet Nua e Crua, de Jesse Peretz, pode ser definido como um triângulo amoroso no melhor estilo do cinema 'indie' americano. Os personagens são modernos, os diálogos inteligentes e o elenco é cool até demais.

Annie (Rose Byrne) vive há vários anos com Duncan (Chris ODowd), um crítico musical fanático pelo roqueiro Tucker Crowe (Ethan Hawke).

Tucker gravou um álbum há 25 anos e depois sumiu. Tornou-se um mito. Pelo menos para seus admiradores. Entre os quais não se encontra Annie, que posta em seu blog um comentário ácido sobre Tucker. Ele mesmo responde e a partir de então a história começa para valer.

Baseado no romance homônimo do também cult inglês Nick Hornby (Febre de Bola, Alta Infidelidade), o filme tem lá seu encanto, apesar de afetar sua condição "independente" de maneira excessiva, que chega a ser até maneirista. De qualquer forma, e apesar desse exibicionismo cool, Juliet, Nua e Crua é uma boa e inteligente comédia romântica.

Juliet, Nua e Crua / Juliet, Naked

(EUA, Reino Unido/2018, 105 min.)

Dir. Jesse Peretz. Com Rose Byrne, Ethan Hawke, Chris ODowd

 



Recomendadas para você