Jornal do Brasil

Cultura

Lagerfeld renova Chanel em clima praiano

Estilista alemão imprime jovialidade à coleção, em desfile que esbanjou criatividade

Jornal do Brasil

PARIS - Karl Lagerfeld reafirmou ontem a sua condição de “kaiser” da moda e reinventou, mais uma vez, a linha da Chanel, com uma coleção jovial e ligeiramente “oversize”, em um espetacular desfile praiano.

Ao suave som das ondas que o estilista alemão recriou sob o impressionante teto de vidro do Grand Palais de Paris, se somou ao fim do desfile um grande aplauso e, dessa vez, Lagerfeld se entusiasmou.

A holandesa Luna Bijl abriu o desfile. Descalças, carregando um par de sandálias na mão, as modelos caminharam primeiro sobre a areia, junto à água transparente e em movimento sobre a qual instalaram um pontão. Depois se calçaram para desfilar na passarela.

Até o público, entre os quais estava o rapper Pharrell Williams e celebridades como Vanessa Paradis e Pamela Anderson, estava com os pés na areia e rodeado por um céu azul artificial, enquanto do lado de fora o clima era de outono.

As primeiras peças estão ancoradas no emblemático terninho de jaqueta e saia em tweed da Chanel. Mas, em seguida, afloraram as primeiras mudanças: o casaco mais largo nos ombros e na cintura, e não apenas combinado com uma saia da mesma estampa, como também em um conjunto com calças de malha.

O tweed desaparece gradualmente e dá lugar a bordados e poás, imprimindo um ar decididamente mais jovial ao vestuário: uma jaqueta ampla e reta de bordas coloridas é usada sobre um biquíni e um vestido poá rosa com um cinto de metal.

As roupas mais praianas aparecem com uma estampa vista em várias peças: pequenos guarda-chuvas. Eles aparecem em pareôs, roupas de banho e vestidos leves e confortáveis. Para um visual mais chique, um suéter de manga comprida com decote em V é combinado com bermuda ciclista ou minissaia.

Pouco a pouco, a coleção sai da praia, com conjuntos mais sóbrios e monocromáticos, e elegantes vestidos pretos de tule tipo baby doll ou trapézio.

“Cha” “Nel”: o nome da marca é dividido em dois e está inscrito na viseira dupla de um chapéu de palha, em um par de brincos ou em um conjunto de top marrom, no qual se lê “Cha”, e saia (“Nel”).

As modelos aparecem com pequenas bolsas em forma de bola de praia ou vieira. Para os clientes mais incondicionais, Lagerfeld propõe um par de bolsas de couro idênticas, penduradas uma em cada lado do quadril.

Esta é a enésima vez que Lagerfeld, de 85 anos, reinventa a linha da Chanel, desde que, em 1983, assumiu sua direção artística. Mas até o “kaiser” da moda, também à frente da marca italiana Fendi e da que leva seu nome, operou uma pequena mudança de imagem.

Ao sair para cumprimentar as pessoas sobre o pontão, o estilista apareceu sem seus inconfundíveis óculos escuros, usando simples óculos de grau. Há alguns meses, Lagerfeld surpreendeu com uma inédita barba branca, que continua usando, além de seu tradicional rabo de cavalo.



Recomendadas para você