Jornal do Brasil

Cultura

Muppets desbocados e sem graça: confira crítica de 'Crimes em Happytime'

Jornal do Brasil TOM LEÃO*, especial para o JB

Numa Los Angeles onde bonecos convivem com humanos (sem uma explicação, como havia em Roger Rabbit), estes são alvo de preconceito da população. Logo, passam a ser alvos também de assassinatos. E Phil, um policial boneco (voz de Bill Baretta, produtor de vários filmes dos Muppets), descobre que todos os mortos faziam parte de famosa série de TV e estavam para receber uma fortuna em royalties.

Com algo de policial noir, duplas desajustadas (Phil é parceiro de policial humana, feita pela sempre exagerada, e sem graça, Melissa MacCarthy) e todos os clichês do gênero, este “The Happytimes murders” (dirigido por Brian Henson, herdeiro de Jim, criador dos Muppets), só difere por ter bonecos falando palavrões.

De resto, é flat em humor e ritmo. O que seria subversivo, ou diferente, é apenas tedioso. Parece que, só os manipuladores se divertiram. Como vemos nas cenas dos créditos finais.

*Jornalista

______________________________

CRIMES EM HAPPYTIME: o (Péssimo)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom



Recomendadas para você