Com dois de Lukaku, Bélgica derrota o Panamá por 3 a 0

Depois de um primeiro tempo com muitas oportunidades e pontaria descalibrada, a Bélgica estreou no Grupo G com uma tranquila vitória de 3 a 0 em Sochi sobre a modesta seleção do Panamá que fazia sua estreia em Mundiais. Os belgas tiveram tranquilidade para manter o padrão de jogo e controlaram a partida inteira, mantendo o dobro da posse de bola do adversário cuja intenção declarada era a de evitar um massacre diante de uma equipe infintamente superior.    

A seleção panamenha ensaiou o primeiro ataque logo aos 2 minutos, quando puxou um contra-ataque parado por falta da zaga belga. Em seguida, os diabos vermelhos começaram a afiar os tridentes dando a impressão de que aplicaria uma sonora goleada. 

Auxiliados pelo volante De Bruyne, que sempre teve liberdade para chegar à frente, os meias Hazard, Mertens e Carrasco trocavam passes rápidos e envolviam facilmente a zaga adversária, criando várias chances de gol. Mas dos nove chutes dados pelos belgas na primeira etapa apenas três foram a gol. O primeiro deles foi aos 5, quando Mertens chutou forte no àngulo obrigando Penedo a fazer uma bela defesa de mão trocada. 

>> Veja a tabela do Grupo G

Nos 20 primeiros minutos, o setor defensivo panamenho mostrava-se atordoado e tinha dificuldades em sair jogando. O lance mais perigoso foi aos 11 minutos quando Torres recuou mal para Penedo, Hazard antecipou-se e chutou rente a trave. A opção belga pelos chutes de fora da área no primeiro tempo deixou Lukaku, o homem de referência do ataque belga, praticamente como um espectador privilegiado. Sua melhor oportunidade na primeira etapa foi um cruzamente que o deixaria debaixo do gol para escorar, mas um corte providencial de Torres frustrou a chance do goleador do Machester United marcar. 

Na metade final da primeira etapa a Bélgica desacelerou e permitiu que o Panamá respirasse e ensaiasse alguns contra-ataques.

A folgada vitória belga começou a ser construída logo no início do segundo tempo. Aos 2 minutos, Mertens acertou um belo chute da entrada da área que encobriu o goleiro. 1 a 0. 

Aos 8 minutos, o lateral Murillo recebeu em produndidade na área e teve a chance de marcar o primeiro gol da história de seu país em Copas mas chtou em cima de Courtois.

Depois de um primeiro tempo apagado, o goleador Lukaku deu o ar da graça. Mergulhou para marcar de cabeça após um belíssimo cruzamento de três dedos de De Bruyne pela esquerda. Lukaku voltou a balancar as redes seis minutos depois quando a Bélgica encaixou um veloz contra-ataque: Hazard avançou pela intermediária e serviu o atacante que tocou de leve por cobertura na saída do goleiro. Com os dois gols, Lukaku iguala-se ao russo Cheryshev na tabela de artilheiros da competição. Ambos estão a um gol do português Cristiano Ronaldo.   

Bélgica: Courtois; Alderweireld, Boyata e Vertonghen; Meunier, De Bruyne, Witsel (Chadli) e Carrasco; Mertens (T. Hazard), Hazard e Lukaku.

Panamá: Penedo; Murillo, Escobar, Torres e Ovalle;  Gomez, Godoy e Rodríguez (Diaz); Barcenas (Gabriel Torres) e Pérez (Tejada). Juiz: Janny Sikazwe (Zâmbia). 

Cartões amarelos: Meunier, Vertonghen, De Bruyne, Davis, Barcenas, Cooper, Murilo e Godoy