"A ansiedade bateu forte", diz Tite após empate com a Suíça

O técnico da seleção brasileira, Tite, admitiu em entrevista após o empate com a Suíça em 1 a 1, neste domingo (17), pela Copa da Rússia, que os jogadores tiveram o desempenho comprometido pela ansiedade da estreia na competição. "A ansiedade bateu forte, apressou demais o time e isso se traduziu em finalizações sem precisão. Quando o jogador apressa demais o ritmo, o último movimento fica impreciso. Tivemos várias finalizações, e muitas erradas."

Tire reclamou ainda especialmente do lance do gol da Suíça, quando teria havido falta em Miranda. "O lance foi muito claro", disse, acrescentando contudo que a outra jogada polêmica do jogo, quanto teria havido pênalti em Gabriel Jesus, não era tão clara para ele.

>> Brasil tem atuação pouco inspirada e empata com a Suíça na estreia: 1 a 1

Questionado se os jogadores deveriam ter reclamado com mais veemência com a arbitragem diante de duas jogadas duvidosas que foram decisivas na partida, Tite destacou que não cabe ao time o enfrentamento com os árbitros. "O time não tem que pressionar arbitragem, tem pessoas responsáveis para trazer para si as reclamações. Não posso pensar numa equipe desequilibrada em campo."

O treinador afirmou ainda que, até momento do gol, a seleção jogou com muita intensidade. "Depois recuamos, o que não é normal. Às vezes é melhor cadenciar, mas o time estava elétrico. Depois do gol adversário o time sentiu emocionalmente. Isso serve de aprendizado. Nas finalizações, é preciso ser mais frio".

Coutinho

Antes de Tite, Philippe Coutinho, autor do gol brasileiro e eleito o melhor em campo, falou brevemente sobre o jogo. "Todas as partidas serão difíceis, as equipes são bem qualificadas. Mas jogamos bem, tivemos coisas positivas. Nosso intuito era ganhar, mas na primeira fase da Copa são três jogos e temos que pensar no próximo."