Itália adia ida para Recife e ganha dia de descanso no Rio 

Preocupada com as instalações de Recife, a delegação italiana preferiu ficar mais dois dias no Rio de Janeiro e viajar para a capital pernambucana apenas na véspera do jogo de quarta-feira contra o Japão, pela segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações. Mas ninguém vai ter descanso. "Temos que ver o jogo entre Brasil e Japão, analisar tudo e já começar a preparar a partida", disse o técnico Cesare Prandelli.

Do outro lado do campo, um amigo e velho conhecido: Alberto Zaccheroni, técnico do Japão nesta competição. "Alberto nos conhece bem, sabe como jogamos e com certeza já está preparando alguma armadilha para nós", disse.

Para esta partida, Prandelli deve manter Giacherinni na equipe no lugar de El Shaarawy. "Foi uma questão de adequar nosso time às caraterísticas do jogo", afirmou. Sobre Balotelli, Prandelli explicou que tirou o atacante no segundo tempo da vitória por 2 a 1 contra o México para lhe dar descanso, e negou qualquer problema físico do atacante.

E deve ser exatamente o que vai fazer a Itália nesta segunda-feira no Rio: descansar. Não há nenhum treinamento previsto até a viagem ao Recife. Apenas sessão de fisioterapia no hotel e provavelmente despedida das mulheres dos jogadores que vieram ao Rio, curtiram a cidade, as praias, foram ao Maracanã no domingo e retornam à Itália na noite desta segunda-feira.

Para o jogo contra o Japão, Balotelli, De Rossi e Barzagli precisam tomar cuidado por terem recebido cartão amarelo contra o México. Caso levem o segundo, ficam fora do jogo contra o Brasil.