Era uma vez o pacote anticorrupção

Em meio à crise política enfrentada por todo país e o total descrédito nos políticos e na política brasileira, já que a cada dia mais um nome é envolvido aos esquemas de corrupção, os deputados essa noite jogaram mais uma pá de terra. A Câmara dos Deputados faz uma votação na madrugada e desfigura o pacote de dez medidas contra corrupção, uma iniciativa popular criada pela força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba que recolheu dois milhões de assinaturas dos brasileiros. 

Com algumas mudanças, a emenda aprovada pelos deputados restringe a operação lava-jato e ainda prevê punição aos juízes que podem ser processados. Na votação, diversos deputados, muitos deles envolvidos e acusados nas investigações de corrupção, discursaram defendendo a proposta de mudança do pacote. Das dez medidas originais apresentadas pelo Ministério Público, apenas duas não sofreram alterações. 

Vivemos com cadeias lotadas, com presos vivendo em celas com ratos, doenças e todos os tipos de violência e humilhação. Há pouco tempo os jornais denunciaram a situação do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas) no Rio de Janeiro e o que foi encontrado foi superlotação e uma situação desumana, com menores sofrendo com escabiose e tuberculose, o que afeta até mesmo os servidores que ali trabalham.  E por que tantos privilégios aos políticos corruptos, responsáveis por desvios milionários?

Por que tanta injustiça com o povo brasileiro?

Um corrupto não passa mais de 24 horas na cadeia e logo recebe direito a prisão domiciliar, enquanto os presos pobres, favelados, aguardam quase um ano só para serem julgados. Enquanto um rouba um celular, um quilo de arroz ou feijão e apodrece na cadeia, os outros são responsáveis por desvios milionários, tirando dinheiro da saúde, educação, segurança, ou seja, estão matando pessoas e recebem rapidamente o direito de irem de volta para casa, usufruir do que roubaram. 

Agora, o texto proposto pelos deputados precisa ser aprovado no Senado e sancionado pelo presidente. 

Vamos pressionar para que não seja aprovado!

* Davison Coutinho, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenhoindustrial pela PUC-Rio, Mestre em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade